O Universo é Meu Caminho












"O universo é meu caminho;
 o amor, a minha lei
 a paz, o meu abrigo.
 A experiência, a minha escola;
 a dificuldade, o meu estímulo;
 o obstáculo, a minha lição;
 a Sabedoria, meu objetivo;
 A compreensão, minha benção;
 o equilíbrio, minha atitude;
 a perfeição, minha meta;
 a plenitude, meu destino.” 





            Nós, os filhos da Terra 

 

Nós, os filhos da Terra, 
viajantes siderais, 
herdeiros da eternidade, 
ciganos estelares,
unidos à centelha divinal em nossos corações, 
erguemos as mãos em saudações ao Supremo Alquimista, 
ao incomparável Arquiteto, 
ao insuperável Poeta, 
repousando nossa mente meditativa em Ti. 

Celebramos a existência sem limitações, 
cantamos a alegria transbordante que nos contagia.
Louvamos o silêncio e a palavra,
respeitamos a ordem cósmica e a lei planetária, 
e pleiteamos nosso lugar no concerto das galáxias. 

O Bem representa nossa nutrição diária, 
o mal é apenas passageiro. 
O Amor terrestre é nosso precioso tesouro; 
a guerra é apenas temporária. 

Em nós coexistem o lobo e o cordeiro, 
Brahma e Shiva, 
a força e a renúncia. 

Somos um amálgama obtruso e excelso,
reflexos de um mistério inescrutável.

Nossos olhos cintilam como um raio 
ou expressam ternura e devoção. 
Terrestres momentâneos, 
dirigimo-nos a Ti, 
agradecendo por nossa respiração,
nossos filhos, 
nosso alimento 
e espaço vital. 

Somos peregrinos errantes a vagar pelo tempo, 
mas nossa jornada solitária conduz a Ti,
Presença distante a velar por todos nós. 

 texto hindu: Os mestres da Terra 
 Sergio


A VOZ DO INFINITO: 
 Através do universo visível, nosso espírito deve sentir a presença do universo invisível, sobre o qual estamos colocados. Tudo o que vemos não passa de aparência: o real é o invisível, a força, a energia, o que tudo leva para o infinito e o eterno. 
Pouco importa que o corpo desagregue depois da morte. A alma permanece. 
Na noite profunda e silenciosa tudo se move impulsionado pelo sopro divino. Nessas horas de tranqüilo recolhimento, não ouvis a voz do infinito?
 CAMILLE FLAMARION

CARL SAGAN (Carl Edward Sagan) - 
PARA NOSSA REFLEXÃO: 

*Quando reconhecemos nosso lugar na imensidão de anos-luz e no transcorrer das eras, quando compreendemos a complexidade, a beleza e a sutileza da vida, então o sentimento sublime, misto de júbilo, humildade é certamente espiritual.


*A ciência não só é compatível com a espiritualidade como da própria é uma profunda fonte de espiritualidade. 

*Diante da vastidão do Espaço e da imensidão do tempo, é uma felicidade partilhar o mesmo planeta e a mesma época que você.

*Se não existe vida fora da Terra, então o universo é um grande desperdício de espaço.  

*Mesmo um exame superficial da história revela que nós, seres humanos, temos uma triste tendência para cometer os mesmos erros repetidas vezes. Temos medo dos desconhecidos ou de qualquer pessoa que seja um pouco diferente de nós. Quando ficamos assustados, começamos a ser agressivos para as pessoas que nos rodeiam. Temos botões de fácil acesso que, quando carregamos neles, libertam emoções poderosas. Podemos ser manipulados até extremos de insensatez por políticos espertos. Dêem-nos o tipo de chefe certo e, tal como o mais sugestionável paciente do terapeuta pela hipnose, faremos de bom grado quase tudo o que ele quer - mesmo coisas que sabemos serem erradas. 
Fonte: Carl Sagan, in "O Mundo Infestado de Demónios" 

*Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar. 

*O universo não foi feito à medida do ser humano, mas tampouco lhe é adverso: é-lhe indiferente.

Notável astrônomo estadunidense, pioneiro da exobiologia - 1934-1996. 




Carl Sagan

Por Leonardo Marioto

Olhando para as estrelas
imagino comigo
Quão pequenas elas são

Levanto,
olho para mim
E fabulo nossa imensidão



Ah o Universo!
uma mera beleza
Na vastidão da Terra.

“Pense nos rios de sangue derramados por todos aqueles generais e imperadores, para que, em sua glória e triunfo, eles pudessem se tornar os mestres momentâneos de uma fração de um ponto.” Carl Sagan





VIA LÁCTEA - SONETO XIII
"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
.
E conversamos toda a noite, enquanto
A Via-Láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do Sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
.
Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"
.
E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas". 
Olavo Bilac



A expansão do universo é uma constante
 em paralelo com a expansão  do amor do homem, 
ambos infinitos.

Nadja Feitosa
Postar um comentário