A Fonte


Conhecerás a Deus sem imagem,
 sem aparência e sem meios.

 Enquanto este ele e este eu, a saber,

 Deus e a alma, não forem um único aqui,

 um único agora, o eu não poderá trabalhar

 nem identificar-se com aquele ele.

 (Mestre Eckhart)

Pergunta: Por que é que nós naturalmente parecemos
 pensar em nós mesmos como indivíduos separados?

Maharaj: Seus pensamentos sobre individualidade não são realmente seus próprios pensamentos, são todos pensamentos coletivos. Você pensa que você é a pessoa que tem os pensamentos, mas de fato os pensamentos surgem dentro da consciência. Conforme nosso conhecimento espiritual cresce, nossa identificação com um corpo-mente individual diminui, e nossa consciência expande-se na consciência universal. A força da vida continua a atuar, mas seus pensamentos e ações já não são limitados a um indivíduo. Transformam-se na manifestação total. É como a ação do vento - o vento não sopra para nenhum indivíduo em particular, mas para a manifestação total.

Q: Como um indivíduo, é possível retornar à fonte?
M: Não como um indivíduo, o conhecimento “eu sou” deve retornar à sua própria fonte. Agora, a consciência identificou-se com uma forma. Mais tarde, ela compreende que não é essa forma e segue adiante. Em alguns casos ela pode alcançar o espaço, e muito frequentemente, pára ali. Em pouquíssimos casos ela alcança sua fonte real, além de todo condicionamento.
É difícil abandonar essa inclinação de identificar o corpo como sendo o 'Ser' (Self). Eu não estou falando com um indivíduo, estou falando para a consciência. É a consciência que deve procurar sua fonte. Daquele estado de não-ser surge o sentido de existência. Ele surge tão quietamente quanto o crepúsculo, com apenas uma sensação de “eu sou” e então de repente o espaço está lá. No espaço, o movimento começa com o ar, o fogo, a água, e a terra. Todos estes cinco elementos são justamente você. De sua consciência tudo isto aconteceu. Não há nenhum indivíduo. Há somente você, o funcionamento total é você, a consciência é você. Você é a consciência, todos os títulos dos deuses são os seus nomes, mas identificado ao corpo você se entrega ao tempo e à morte - você está impondo isso a você mesmo. Eu sou o universo total. Quando eu sou o universo total não tenho necessidade de nada porque eu sou todas as coisas. Mas abarrotei eu mesmo em uma coisa pequena, um corpo; fiz de mim um fragmento e tornei-me necessitado de coisas. Eu preciso de tantas coisas sendo um corpo. Na ausência de um corpo, você existe; quando não tinha um corpo você existia? Você estava lá ou não? Alcance esse estado que é e era anterior ao corpo. Sua natureza verdadeira está aberta e livre, mas você a encobre, você dá a ela várias formatações.










"O homem é como uma garrafa cheia de água, fortemente arrolhada, lançada no meio do Oceano. Tem dentro de si a mesma 
substância de que é feito o Oceano, mas a sua mente (a rolha) o impede de tornar-se Uno com essa imensidão" Sri Ramakrisna

Essa imagem criada pela garrafa fechada, cheia de água do oceano, boiando em pleno Oceano...o que nos aponta?

O que nos faz nos sentirmos tão miseráveis e abandonados, e infelizes nessa vida?
O que nos impede de vivermos em pleno êxtase e alegria pura, felizes pelo presente, e abandonados em profunda confiança e gratidão?

A resposta é simples: A mente iludida pela separação...ou aqui no nosso texto...a rolha da garrafa!!
O Todo, ou Existência, ou Deus, como quiserem chamar é sempre Um, Absoluto e Total!!
O fato de sermos "diferentes" uns dos outros, de existirem "muitas" formas, "muitos" seres, "muitos" pensamentos, "muitas" emoções....o fato da existência ser tão rica e plural, não significa que deixou de ser manifestação do mesmo Deus....reflitam sobre isso...

O mesmo Deus, Todo, Existência que lê esse texto, é o mesmo Deus, Todo, Existência que escreveu essas palavras, é o mesmo Deus, Todo, Existência que realiza, faz, pensa, canta...enfim só Deus, Todo, Existência existe...

A mente é inerente a cada ser humano, e só através da mente, podemos ir além da mente...e com isso realizarmos o ápice da criação, o ápice da existência que é conhecer quem nós somos na verdade...isto é retirar a rolha da garrafa, é sair da ilusão de que a água do oceano dentro e fora da garrafa estiveram separadas um dia...isto é alcançar o estado de não-mente...é tomar consciência de que nossa dimensão verdadeira sempre foi e sempre será o Oceano...pois só existe o Oceano...seja "dentro", seja "fora" da garrafa...

Enxergar isso é alcançar a iluminação...é perder todos os "limites", é nadar no infinito do amor, da paz e do silêncio absolutos, em profunda e total gratidão...a garrafa foi finalmente aberta... :)
Amor
Lilian


Blog:Mandalas de Paz



SOMOS TODOS UM
Somos todos Um
Somos todos um
Não há diferenças entre mim e um pedaço de chão.
Não há diferença entre o sim e o não.
Há apenas um minimo divisor comum
o número um
Não há animais e humanos
Não há farrapos e panos
Não há este e o outro lado
Não há certo e errado
Há as celulas que nos formam
Há as fibras que se transformam
Há a consciência universal
E no fundo de cada coisa,
A energia fundamental
Eu e tu somos o mesmo
e somos a mais longinqua estrela
e o vazio, e o nada
porque o nada é feito de tudo
é aquilo que agora mudo
e que, como em tudo,
é energia disfarçada.
Somos todos Um
Publicada por Luzia
em Somos Todos Um blog





Um reino é incapaz de compreender outro superior, ou seja, somos incapazes de compreender a realidade espiritual, do mesmo modo que um animal não pode compreender o ser humano, e a planta compreender o animal. Sendo dotados essencialmente de uma alma ou espírito racional, o ser humano é capaz de abranger todos os reinos abaixo, possuindo poder de desvendar as realidades físicas como na ciência, em compreensão abrangendo parte do mundo material - seu poder de desvendar também as realidades espirituais é oriunda ou exclusivamente devido ao desenvolvimento espiritual (através das virtudes), desse modo, seu não-desenvolvimento implica uma compreensão inferior do mundo espiritual mesmo neste mundo, como também após a morte; remete sempre a idéia de que todas as coisas evoluem eternamente.



***
Quando fazemos o bem ao nosso próximo e vemos que ele ficou feliz, sentimo-nos felizes também. É que somos todos irmãos, ramificações de uma mesma Vida, isto é, da Vida de Deus, que flui para dentro de nós e mantém a nossa Vida. Portanto, a alegria de fazer o bem ao próximo é a do reencontro e união das partes que, apenas na aparência, achavam-se separadas.
 Fonte: Livro A Cartilha da Vida





Deus é o oceano da vida, 

e nós somos as ondas da criação

Uma onda nasce, 

uma onda morre. 

Mas o oceano permanece.

Universos nascem, universos desaparecem. 

Mas a Fonte dos universos permanece.

Essa Fonte é o que os homens chamaram Deus.

Somos canais por onde Deus vive as suas múltiplas manifestações.

Ou seja, nós somos instrumentos da vida, não os autores.

Somos os instrumentos de cada ação e pensamento, 

mas o autor de cada ação e pensamento é Vida, Consciência ou Deus."

Somos canais por onde Deus vive, por 

Swami Sambodh Naseeb




Conhecerás a Deus sem imagem,
 sem aparência e sem meios.

 Enquanto este ele e este eu, a saber,

 Deus e a alma, não forem um único aqui,

 um único agora, o eu não poderá trabalhar

 nem identificar-se com aquele ele.

 (Mestre Eckhart)

Pergunta: Por que é que nós naturalmente parecemos
 pensar em nós mesmos como indivíduos separados?

Maharaj: Seus pensamentos sobre individualidade não são realmente seus próprios pensamentos, são todos pensamentos coletivos. Você pensa que você é a pessoa que tem os pensamentos, mas de fato os pensamentos surgem dentro da consciência. Conforme nosso conhecimento espiritual cresce, nossa identificação com um corpo-mente individual diminui, e nossa consciência expande-se na consciência universal. A força da vida continua a atuar, mas seus pensamentos e ações já não são limitados a um indivíduo. Transformam-se na manifestação total. É como a ação do vento - o vento não sopra para nenhum indivíduo em particular, mas para a manifestação total.

Q: Como um indivíduo, é possível retornar à fonte?
M: Não como um indivíduo, o conhecimento “eu sou” deve retornar à sua própria fonte. Agora, a consciência identificou-se com uma forma. Mais tarde, ela compreende que não é essa forma e segue adiante. Em alguns casos ela pode alcançar o espaço, e muito frequentemente, pára ali. Em pouquíssimos casos ela alcança sua fonte real, além de todo condicionamento.
É difícil abandonar essa inclinação de identificar o corpo como sendo o 'Ser' (Self). Eu não estou falando com um indivíduo, estou falando para a consciência. É a consciência que deve procurar sua fonte. Daquele estado de não-ser surge o sentido de existência. Ele surge tão quietamente quanto o crepúsculo, com apenas uma sensação de “eu sou” e então de repente o espaço está lá. No espaço, o movimento começa com o ar, o fogo, a água, e a terra. Todos estes cinco elementos são justamente você. De sua consciência tudo isto aconteceu. Não há nenhum indivíduo. Há somente você, o funcionamento total é você, a consciência é você. Você é a consciência, todos os títulos dos deuses são os seus nomes, mas identificado ao corpo você se entrega ao tempo e à morte - você está impondo isso a você mesmo. Eu sou o universo total. Quando eu sou o universo total não tenho necessidade de nada porque eu sou todas as coisas. Mas abarrotei eu mesmo em uma coisa pequena, um corpo; fiz de mim um fragmento e tornei-me necessitado de coisas. Eu preciso de tantas coisas sendo um corpo. Na ausência de um corpo, você existe; quando não tinha um corpo você existia? Você estava lá ou não? Alcance esse estado que é e era anterior ao corpo. Sua natureza verdadeira está aberta e livre, mas você a encobre, você dá a ela várias formatações.










"O homem é como uma garrafa cheia de água, fortemente arrolhada, lançada no meio do Oceano. Tem dentro de si a mesma 
substância de que é feito o Oceano, mas a sua mente (a rolha) o impede de tornar-se Uno com essa imensidão" Sri Ramakrisna

Essa imagem criada pela garrafa fechada, cheia de água do oceano, boiando em pleno Oceano...o que nos aponta?

O que nos faz nos sentirmos tão miseráveis e abandonados, e infelizes nessa vida?
O que nos impede de vivermos em pleno êxtase e alegria pura, felizes pelo presente, e abandonados em profunda confiança e gratidão?

A resposta é simples: A mente iludida pela separação...ou aqui no nosso texto...a rolha da garrafa!!
O Todo, ou Existência, ou Deus, como quiserem chamar é sempre Um, Absoluto e Total!!
O fato de sermos "diferentes" uns dos outros, de existirem "muitas" formas, "muitos" seres, "muitos" pensamentos, "muitas" emoções....o fato da existência ser tão rica e plural, não significa que deixou de ser manifestação do mesmo Deus....reflitam sobre isso...

O mesmo Deus, Todo, Existência que lê esse texto, é o mesmo Deus, Todo, Existência que escreveu essas palavras, é o mesmo Deus, Todo, Existência que realiza, faz, pensa, canta...enfim só Deus, Todo, Existência existe...

A mente é inerente a cada ser humano, e só através da mente, podemos ir além da mente...e com isso realizarmos o ápice da criação, o ápice da existência que é conhecer quem nós somos na verdade...isto é retirar a rolha da garrafa, é sair da ilusão de que a água do oceano dentro e fora da garrafa estiveram separadas um dia...isto é alcançar o estado de não-mente...é tomar consciência de que nossa dimensão verdadeira sempre foi e sempre será o Oceano...pois só existe o Oceano...seja "dentro", seja "fora" da garrafa...

Enxergar isso é alcançar a iluminação...é perder todos os "limites", é nadar no infinito do amor, da paz e do silêncio absolutos, em profunda e total gratidão...a garrafa foi finalmente aberta... :)
Amor
Lilian


Blog:Mandalas de Paz



SOMOS TODOS UM
Somos todos Um
Somos todos um
Não há diferenças entre mim e um pedaço de chão.
Não há diferença entre o sim e o não.
Há apenas um minimo divisor comum
o número um
Não há animais e humanos
Não há farrapos e panos
Não há este e o outro lado
Não há certo e errado
Há as celulas que nos formam
Há as fibras que se transformam
Há a consciência universal
E no fundo de cada coisa,
A energia fundamental
Eu e tu somos o mesmo
e somos a mais longinqua estrela
e o vazio, e o nada
porque o nada é feito de tudo
é aquilo que agora mudo
e que, como em tudo,
é energia disfarçada.
Somos todos Um
Publicada por Luzia
em Somos Todos Um blog





Um reino é incapaz de compreender outro superior, ou seja, somos incapazes de compreender a realidade espiritual, do mesmo modo que um animal não pode compreender o ser humano, e a planta compreender o animal. Sendo dotados essencialmente de uma alma ou espírito racional, o ser humano é capaz de abranger todos os reinos abaixo, possuindo poder de desvendar as realidades físicas como na ciência, em compreensão abrangendo parte do mundo material - seu poder de desvendar também as realidades espirituais é oriunda ou exclusivamente devido ao desenvolvimento espiritual (através das virtudes), desse modo, seu não-desenvolvimento implica uma compreensão inferior do mundo espiritual mesmo neste mundo, como também após a morte; remete sempre a idéia de que todas as coisas evoluem eternamente.



***
Quando fazemos o bem ao nosso próximo e vemos que ele ficou feliz, sentimo-nos felizes também. É que somos todos irmãos, ramificações de uma mesma Vida, isto é, da Vida de Deus, que flui para dentro de nós e mantém a nossa Vida. Portanto, a alegria de fazer o bem ao próximo é a do reencontro e união das partes que, apenas na aparência, achavam-se separadas.
 Fonte: Livro A Cartilha da Vida





Deus é o oceano da vida, 

e nós somos as ondas da criação

Uma onda nasce, 

uma onda morre. 

Mas o oceano permanece.

Universos nascem, universos desaparecem. 

Mas a Fonte dos universos permanece.

Essa Fonte é o que os homens chamaram Deus.

Somos canais por onde Deus vive as suas múltiplas manifestações.

Ou seja, nós somos instrumentos da vida, não os autores.

Somos os instrumentos de cada ação e pensamento, 

mas o autor de cada ação e pensamento é Vida, Consciência ou Deus."

Somos canais por onde Deus vive, por 

Swami Sambodh Naseeb


Khalil Gibran - A Voz


 

Do Livro “A Voz do Mestre” 

 Do Primeiro Olhar  
Do Primeiro Beijo
Do Casamento
 

           Do Primeiro Olhar 

É aquele momento em que a Vida passa da sonolência para a alvorada. É a primeira chama que ilumina o íntimo mais profundo do coração. É a primeira nota mágica arrancada das cordas de prata do sentimento. É aquele momento instantâneo em que se abrem diante da alma as crônicas do Tempo, e se revelam aos olhos as proezas da noite, e as vozes da consciência. Ele é que abre os segredos da Eternidade para o futuro. É a semente lançada por Ishtar, deusa do Amor, e espargida pelos olhos do ser amado na paisagem do Amor, depois regada e cuidada pela afeição, e finalmente colhida pela alma.
O primeiro olhar vindo dos olhos do ser amado é como o espírito que se movia sobre a face das águas e deu origem ao céu e à terra, quando o Senhor sentenciou: “E agora, vivei!
Do Primeiro Beijo


É o primeiro gole de néctar da Vida, numa taça ofertada pela divindade.É a linha divisória entre a dúvida que engana
o espírito e entristece o coração, e a certeza que inunda de alegria nosso íntimo.
É o começo da canção da Vida e o primeiro ato do drama do Homem Ideal.É o vínculo que une a obscuridade do passado com a luminosidade do futuro; é a ponte entre o silêncio dos sentimentos e a sua própria melodia.É uma palavra pronunciada por quatro lábios, proclamando o coração um trono, o Amor um rei e a fidelidade uma coroa.É o toque leviano dos dedos delicados
da brisa nos lábios da rosa - pronunciando um longo suspiro de alívio e um suave gemido.É o começo daquela vibração mágica que transporta os amantes do mundo das coisas e dos seres para o mundo dos sonhos e das revelações.É a união de duas flores perfumadas; e a mistura de suas fragrâncias, para a criação de uma terceira alma.Assim como o primeiro olhar é uma semente lançada pela divindade no campo do coração humano,assim o primeiro beijo é a primeira flor nascida na ponta dos ramos da Árvore da Vida.
KHALIL GIBRAM
 

Do Casamento 

Aqui o Amor começa a traduzir a prosa da Vida em hinos e cânticos de louvor, com música que é preparada à noite para ser cantada durante o dia. Aqui a força do amor despe-se dos seus véus, e ilumina todos os recessos do coração, criando uma felicidade que só é excedida pela da Alma quando se encontra com Deus.
O casamento é a união de duas divindades para dar nascimento a uma terceira na terra. É a união de duas almas num amor tão forte que possa abolir qualquer separação. É aquela superior unidade que junta as metades antes separadas, de dois espíritos. É o elo de ouro de uma cadeia cujo começo é um olhar, e cujo fim é a eternidade. É a chuva pura que cai de um céu perfeito para frutificar e abençoar os campos da divina Natureza.
Assim como o primeiro olhar entre os que se amarão é como uma semente lançada no coração humano, e o primeiro beijo de seus lábios uma flor nos ramos da árvore da vida, também a união de dois amantes pelo casamento é como o primeiro fruto da primeira flor daquela semeadura.

Aqui o Amor começa a traduzir a prosa da Vida em hinos e cânticos de louvor, com música que é preparada à noite para ser cantada durante o dia. Aqui a força do amor despe-se dos seus véus, e ilumina todos os recessos do coração, criando uma felicidade que só é excedida pela da Alma quando se encontra com Deus.
O casamento é a união de duas divindades para dar nascimento a uma terceira na terra. É a união de duas almas num amor tão forte que possa abolir qualquer separação. É aquela superior unidade que junta as metades antes separadas, de dois espíritos. É o elo de ouro de uma cadeia cujo começo é um olhar, e cujo fim é a eternidade. É a chuva pura que cai de um céu perfeito para frutificar e abençoar os campos da divina Natureza.
Assim como o primeiro olhar entre os que se amarão é como uma semente lançada no coração humano, e o primeiro beijo de seus lábios uma flor nos ramos da árvore da vida, também a união de dois amantes pelo casamento é como o primeiro fruto da primeira flor daquela semeadura.
Vós nascestes juntos, e juntos permanecereis para todo o sempre.
juntos estareis quando as brancas asas da morte dissiparem vossos dias.
Sim, juntos estareis até na memória silenciosa de Deus.
Mas que haja espaço na vossa junção e que os ventos do céu dancem entre vós.
Amai-vos um ao outro, mas não façais do amor um grilhão:
Que haja antes um mar ondulante entre as praias de vossas almas.
Enchei a taça um do outro, mas não bebais na mesma taça.
Dai de vosso pão um ao outro, mas não comais do mesmo pedaço.
Cantai e dançai juntos, e sede alegres, mas deixai cada um de vós estar sozinho,
Assim como as cordas da lira são separadas e, no entanto, vibram na mesma harmonia.
Dai vossos corações, mas não os confieis à guarda um do outro.
Pois somente a mão da vida pode conter vossos corações.
E vivei juntos, mas não vos aconchegueis em demasia;
Pois as colunas do templo erguem-se separadamente,
E o carvalho e o cipreste não crescem à sombra um do outro.

Kalil Gibran



http://auxilioemocional.blogspot.com.br/ 
Que dos céus caiam chuvas de bençãos sobre ti,
que possas senti-las nas palmas da mão e conserva-las no
coração.
Grata por sua visita!

Nadja Feitosa

Cura pelo Som


OM





Ele está sempre em torno de nós, não importa o que façamos, nem para onde vamos. Som. As vibrações das moléculas que geram efeitos em nossos ouvidos, a que chamamos de som. Mas, e se o som for mais fundo do que isso? E o aspecto do som que vai além do que conseguimos ouvir? Conforme o antigo koan budista pergunta: "Se uma árvore cai na floresta e ninguém está lá para ouvir, ela produz um som?" E aquele aspecto do som que existe à parte de nossa capacidade de ouvir? O som é a substância primordial, da qual é feita toda nossa realidade, e da qual nosso universo se originou. Quer se consulte os Vedas sânscritos ou a Bíblia, é sempre o som que é considerado o coração de toda existência. "No início foi o Verbo", e só depois foi proclamado "Faça-se a Luz" O som precedeu a tudo o que vemos. Tão poderoso e que em tudo penetra, e no entanto prestamos muito pouca atenção a ele, e muitas vezes o confundimos com barulho.

Existe uma conexão íntima entre som e luz, tal como chamas gêmeas uma da outra, onde existe uma, a outra existe também. O som é o tecido subjacente da vibração e é o que cria os padrões de luz que vemos em torno de nós. Na pesquisa Cymatics do Dr. Hans Jenny, ele apresenta em um vídeo os diferentes padrões formados quando freqüências de luz variadas são introduzidas em um prato com cristais de areia. Stan Tenen, da Fundação Meru, demonstra outra correlação entre som e forma, observando as letras do alfabeto hebreu, cujas formas correspondem à forma de sua onda sonora quando os sons das mesmas letras são analisados. Em outro experimento, monges tibetanos foram gravados cantando o OM. Isso foi depois tocado através de um prato ressonante, com cristais em cima. Em poucos segundos, a areia começou a vibrar, e formou um padrão chamado de Sri Yantra, que é considerado na crença hindu, como o padrão da Criação do universo.

Isso significa que para cada som existe uma forma ou padrão correspondente, que pode ser visto.

Penetrar nas vibrações do som sob esses padrões é uma chave para dar forma ao nosso mundo exterior. Uma vez feito isso, poderemos formar de novo o mundo, a partir de dentro. Um poderoso exemplo disso é a ressonância, a força que faz com que pontes caiam quando os exércitos caminham em conjunto por elas, ou que faz com que uma taça se quebre quando um cantor atinge determinada nota, ou que faz com que os pêndulos de todos os relógios de uma sala balancem em conjunto. Quando as vibrações de som vibram em ressonância, somos capazes de transformar o mundo em torno de nós.

Isso é exatamente o que tanto os cientistas quanto os metafísicos estão pesquisando atualmente. Descobrindo o poder oculto do som, e principalmente da ressonância, para transformar o mundo em torno de nós. Em um estudo recente, a Força Aérea aplicou um padrão de som específico a um de dois tubos de teste contendo dióxido de nitrogênio, um poluente encontrado na atmosfera. Nada foi feito ao outro tubo. Quando o som foi aplicado ao primeiro tubo, ele instantaneamente mudou sua composição química, enquanto o segundo tubo permaneceu exatamente igual. 

As aplicações desse princípio estão sendo usadas em esforços para a diminuição da poluição no mundo inteiro, com enormes resultados. Usando uma unidade de transmissão, de metal, chamada harmonizador (um objeto geométrico feito de cobre torcido, que atua como uma antena), uma freqüência de som é aplicada e transmitida pelo ambiente circundante, fazendo com que as moléculas dancem em uma batida diferente, por assim dizer, e se realinhem em elementos não poluidores.  Esses experimentos foram conduzidos em operações em pequena escala no mundo inteiro, patrocinadas por pequenos grupos de indivíduos, com resultados surpreendentes, como a queda de 40% nos níveis de poluição dentro de um mês desde o início do programa. 
Em minha pesquisa sobre o assunto, descobri que usar o som dessa maneira estava muito longe de ser uma descoberta. Na Índia antiga, os sacerdotes brâmanes costumavam realizar um ritual chamado Agni-hotra, uma cerimônia com fogo, que envolvia o uso de um pote geométrico de cobre, em forma de pirâmide, de dimensões muito precisas, o fogo sagrado, e o canto de certos mantras, exatamente ao nascer e ao pôr do sol. Foi cientificamente documentado que esse processo diminui os vírus e as bactérias patogênicas, e os níveis de poluição, em uma área de duas milhas a partir do local onde a cerimônia está sendo realizada. 
Os golfinhos usam o som para curar, e nós também. Em seu livro Healing Sounds, Jonathan Goldman discute como a entonação [toning] (uma técnica que utiliza um som esculpido), pode mudar a energia parada de nossa aura, permitindo que nossa própria energia natural flua mais livremente.  em um caso, uma mulher com mal de Parkinson, ficou completamente sem sintomas um dia depois de ouvir certos padrões de som, que eram uma combinação da ressonância da Câmara dos Reis, no Egito, e da molécula do hidrogênio. (em outro caso, um homem saiu de um coma depois de algumas horas ouvindo uma gravação de sinais de áudio que tentavam reproduzir o padrão de criação do universo.  As histórias são numerosas, e cada uma mais surpreendente do que a outra.

 Christan Hummel 
             ********
O poeta Shams de Tabris, ao escrever sobre a criação, diz que todo mistério do universo reside no som. Esse fato é expressado no Corão e também na Bíblia.

Vibrações mais finas tornam-se mais grosseiras em sua graduação formando os diferentes planos de existência, culminando na manifestação física. Assim como a água quando congelada transforma-se em neve, também a atividade materializa as vibrações. Menos atividade as eteriza, mostrando que o espírito e a matéria são a mesma coisa num sentido mais elevado. O espirito descende em matéria através da Lei da vibração, e a matéria também ascende em direção ao espírito. Os grandes Iogues e Sufis sempre progrediram através de suas práticas em direção ao mais elevado estado de perfeição ao eterizarem-se através do conhecimento das vibrações. O som material dos instrumentos ou da voz produzido pelos órgãos humanos de som, é na verdade a consequência do som universal das esferas, o qual somente pode ser escutado por aqueles que se afinaram com ele. Este estado é chamado de Anahad Nada pelos Iogues e Sawt-e-Sarmad pelos Sufis.

O músico e o amante da música tornam-se refinados e são conduzidos ao mais elevado mundo do som. Os Sufis perdem a si mesmos no som e chamam isso de êxtase ou masti. Poderes psíquicos e ocultos surgem após experimentarem esta condição de êxtase e o conhecimento da existência visível e invisível é revelado. Essa graça da felicidade e paz está disponível apenas aos Iogues e Sufis interessados na divina arte da música.

Quase todos os grandes músicos do oriente tornaram-se grandes santos através do poder da música. Mais recentemente na Índia, músicos como Tansen e Maula Baksh foram exemplos grandiosos da perfeição espiritual através da música. 

                ********




O OM o mais conhecido dos mantras, foge a todas as regras gramaticais expostas, pois é considerado a síntese de todos os sons.O Om é o som do infinito e a semente que "fecunda" os outros mantras.
Escutar o mantra Om é como escutar o próprio Brahman, o Ser. Pronunciar o mantra Om é como transportar-se à residência do Brahman. A visão do mantra Om é como a visão da própria forma. A contemplação do mantra Om é como atingir a forma de Brahman" Mantra Yoga Samhitá, 73.
Na Índia, o mantra Om está em todas partes. Hindus de todas as etnias, castas e idades conhecem perfeitamente o seu significado. Ele ecoa desde a noite em todos os templos e comunidades ao longo do sub continente.

Os Vedas incorporam o Som Cósmico


"Os Vedas incorporam o Som Cósmico (Shabda Brahman ou Naada Brahman). Eles não ficam confinados a um determinado espaço, tempo ou pessoa. Eles atravessam e difundem-se por todo o Cosmos. O Som é a essência dos Vedas. O Som está associado com harmonia e melodia, logo os Vedas devem ser ouvidos e disso derivar êxtase. A santidade dos Vedas é tanta que mesmo pronunciando os mantras sem entender seu completo significado ou meramente escutando-os, algum efeito santo será manifestado. A potencialidade das vibrações Divinas emanadas pelos mantras é tal que eles conferem uma experiência única de Bem-aventurança nos ouvintes. Os Vedas eram ouvidos através dos sons, através das vibrações. Se você se sentar e buscar escutar puramente com o coração, você também pode ouvi-los. Pare e feche seus ouvidos para o externo, e você poderá ouvir o Omkar do interior. Tudo originou a partir do Omkar"
Sathya Sai Baba
"O mantra Védico tem um poder Divino, o qual interage com o poder humano. Quando o mantra é cantado com uma entonação própria, as sessenta e cinco forças Divinas, latentes nos homens, manifestam-se. A força Divina que emerge dos seres humanos funde-se no Som (Naada) do Cosmos e assume a forma da Consciência Universal. Este Naada é Veda. O mantra é capaz de criar novos estados subjetivos em nós, alterar nosso ser psíquico, revelar conhecimento e faculdades que não possuíamos antes. Produz resultados semelhantes em mentes que não aquelas de quem o utiliza, mas pode produzir vibrações na atmosfera mental e vital que resulta em efeitos, em ações e inclusive na produção de formas materiais no plano psicológico"
Sri Aurobindo
"A característica espetacular dos Vedas tem como base o fato de que o Som dos mantras, por si próprio, tem um significado além das palavras que são, por sua vez, cheias de significados. O Som dos mantras Védicos ativam nossas energias sutis. O Som também afeta a atmosfera, resultando em um bem-estar individual e coletivo do mundo. E este bem-estar coletivo não se refere tão somente à humanidade"
~ Sri Chandrasekhar Sarasvati de Kanchi
mantra é uma vibração sonora que usamos na maioria das vezes na meditação, mas podemos usar independente dela também. Man, em sânscrito quer dizer mente, e Tra quer dizer liberação. Portanto, mantra quer dizer literalmente liberação da mente. O mantra é uma vibração sonora que, quando emitido corretamente, exerce um efeito poderoso em nosso corpo e nossa mente. Ele acalma nossas mentes e sentidos, relaxam o corpo e nos liga a energias superiores, pois sua vibração provoca a limpeza de energias de vibração mais baixa. O mantra é definitivamente uma palavra de poder, uma palavra sagrada, que deve ser usado com propriedade e consciência. Os mantras são sons sagrados que ajudam a entrar em estado de meditação. Dotados de grande força energética, eles também nos ajudam a realizar nossos desejos. Para que funcionem bem, convém praticá-los com regularidade, desde que estejamos dignos e aptos para isto – diariamente, ou pelo menos em dias alternados. Existem na tradição indiana centenas de mantras e o uso de cada um tem uma finalidade específica. OM MANI PADME HUM (mantra para harmonizar os chakras e iluminação) .: OM MANE PADME HUM HRI .: OM BABAGI AH HUM (mantra para iluminação, sabedoria, amor e desapego) .: OM YAMANTAKA HUM PHAT (mantra dque elimina os padrões mentais negativos) .: OM HRIM GAURYAI NAMAH (mantra para desenvolvimento em todas as áreas) .: OM SRI GOVINDAYA NAMAH (mantra para felicidade e riqueza) .: OM AH RA PA TSA NA DHI .: OM TARE TUTTARE TURE SVAHA .: OM VAJRASATTVA HUM .: OM AH HUM (mantra para iniciação a ioga) .: OM DHUPE AH HUM (mantra para oferecer incensso) .: OM KALI AH HUM (mantra saudação á Divindade) .: OM WAGI SHORI MUM .: OM AIM HRIM SRIM KLIM SOU HU OM (mantra chakra coroa) .: OM KRIM NAMAHA (mantra chakra olho) .: OM SO HU NAMAHA (mantra chakra garganta) .: OM AIM HRIM KLIM CHAMUNDAYE VICHE (mantra chakra coração) .: OM SRIM NAMAHA (mantra chakra plexo) .: OM HRIM NAMAHA (mantra chakra alma) .: OM AIM NAMAHA (mantra chakra base) .: OM SANAT KUMARA AH HUM (mantra para força e coragem) .: OM CHANDRAYA NAMAH ( mantra para tranqüilidade e clareza de raciocínio) .: OM TARE TUTARE TURE SOHA (mantra Tara, que contém todos os 21 mantras Tara, harmonia, paz, amor, prosperidade, cura, proteção, etc.) .: OM TARE TUTARE TURE DZAMBEH MOHEH DANA METI SHRI SOHA (mantra de Tara para a prosperidade) .: OM BEMA TARE SENDARA HRI SARVA LOKA WASHUM KURU HO (mantra de Tara para evoluir) .: OM TARE TUTARE TURE SARVA ATA SIDDHI SHIDDHI KURU SOHA (mantra de Tara para pedidos) .: OM VAJRASATTVA HUM (mantra para purificar e esvaziar a mente) .: OM SRI GANESHAYA NAMAH (mantra para proteção, prosperidade, desobstrução e qualquer pedido) .: OM SRI KALIKAYA NAMAH (mantra transformador: Karma e auto limitações) .: OM NAMAH SHIVAYA (mantra transformador: Karma e Auto limitações) .: OM SRI MAHALAKSHMYAI NAMAH (mantra para a prosperidade) .: OM SRI SARASWATTI NAMAH (mantra para pedir iluminação e desenvolvimento intelectual) .: OM NARAYANAYA VIDMAHE VASUDEVAYA DHI MAHI TANNO VISHNU PRACHODAYA (mantra para proporcionar força, crescimento, bem estar espiritual, físico, mental e emocional. .: OM HRIM BRAHMAYA NAMAH (mantra para elevar o estado de animo, para felicidade) .: OM KLIM KRISHNAYA NAMAH (mantra para termos paz, coragem e poder) .: AUM SOM SOMAYE NAMAH AUM (mantra para controlar nosso psiquismo, transmutar a energia solar em energia visual, magnética e protetora)
  
A Vibração está por toda a parte                                       
Onde há movimento, ação ou vibração, há som. Reciprocamente, para produzir um som, a vibração correspondente a ele deve ser criada. A fala consiste em vibrações de muitos tipos. Alguns sons são audíveis e outros não. Alguns sons podem ser convertidos em ondas elétricas; eles podem ser ouvidos desde que você sintonize na freqüência correta como de rádio ou telefone.
De acordo coma ciência nuclear e as concepções de Albert Einstein, este mundo é um dilúvio de energias; tudo o que existe é uma corrente eletromagnética. Este mundo, que é pleno de energia, consiste em diferentes tipos de vibrações. Existem todos os tipos de freqüências e vibrações ao nosso redor. Há freqüências que enxergamos (como ondas luminosas), ouvimos (ondas sonoras) e sentimos. As demais vão além da nossa habilidade de sentir, como os raios gama, raios infravermelhos e freqüências de rádio e televisão.
Não é necessário que as vibrações façam parte de atividades gerais únicas. Qualquer movimento físico ou mental produz um som. A ciência descobriu que mesmo nosso processo mental é um tipo de corrente elétrica ou energia. Cada pensamento processado é uma forma de corrente elétrica ou energia e produz uma vibração e um som. Este tipo de som é muito sutil; nós não o ouvimos com nossos ouvidos. Assim como existem bactérias que nós não vemos a olho nu, existem inúmeros sons que nossos ouvidos não podem captar. Estas vibrações são como vibrações de rádio que podem ser ouvidas se alguém puder sintonizar naquele comprimento de onda. Neste caso, apenas almas nobres são capazes de ler nossos pensamentos, pois podem sintonizar-se nesta freqüência facilmente.
Como os pensamentos, sentimentos também produzem vibrações. Cientistas estão estudando como o coração exerce a função principal de no aprendizado, no pensamento e ainda no desenvolvimento da intuição.
Segundo eles, o campo eletromagnético do coração é, de longe, o campo eletromagnético mais poderoso produzido pelo corpo humano. Ele cobre toda célula do corpo e se estende por todas as direções pelo espaço ao nosso redor. O campo cardíaco pode ser mensurado a muitos metros de distância do corpo através de dispositivos sensíveis.
Uma pesquisa conduzida pelo Instituto de Matemática do Coração (http://www.heartmath.org) sugere que o campo do coração é um importante portador de informações que podem ser recebidas por outros a nossa volta. Seus estudos exploram interações que acontecem entre o coração de uma pessoa e o cérebro de outra quando duas pessoas se tocam ou estão intimamente próximas. Esta pesquisa explica a descoberta intrigante de que os sinais eletromagnéticos gerados pelo coração têm a capacidade de afetar os outros a nossa volta. O sinal emitido pelo coração de uma pessoa pode afetar as ondas cerebrais de outras, e a sincronização coração-cérebro pode ocorrer entre duas pessoas quando elas interagem entre si. Conforme indivíduos vão aperfeiçoando a coerência coração-cérebro, eles se tornam mais sensíveis aos sinais eletromagnéticos sutis comunicados por aqueles ao seu redor.
Obtidos juntos, estes resultados sugerem que a comunicação eletromagnética cardíaca pode ser uma fonte de troca de informação muito pouco conhecida entre as pessoas e que esta troca é influenciada por nossas emoções. Uma pessoa capaz de realizar isto pode ajudar radiando constantemente a seus amigos e vizinhos pensamentos de Amor, Calma, Paz, etc. Isto é um fato, pois simplesmente tendo pensamentos positivos nós atraímos energia positiva. Tais vibrações positivas têm um efeito multiplicador. Cada uma destas diferentes vibrações produzem um tipo de ondulação para todas as direções. Para que os bons pensamentos e sentimentos prevaleçam nas mentes e corações das pessoas, uma vibração positiva é muito benéfica. Quando a atmosfera é preenchida com vibrações positivas, bons pensamentos são automaticamente gerados. Determinados sons têm o poder de gerar as vibrações certas que, sucessivamente, têm um impacto positivo em nossos pensamentos e sentimentos.
Os mantras dos Vedas são sons que têm o poder de inspirar bons pensamentos nas pessoas. Estes sons, como vibrações, chegaram até aqui inalterados desde o início da Criação. A ciência das vibrações e frequencias e como elas afetam as pessoas é algo que vem sendo pesquisado há muito tempo. Nós ainda podemos encontrar evidências disto nas antigas escrituras. Estes explicam não apenas os resultados do uso das frequencias de palavras e mantras, mas também instruções em alguns casos. Se os mantras são recitados de maneiras diferenciadas, certos resultados maravilhosos e surpreendentes poderão vir à tona.
Há quem os tenha utilizado para produzir armas equivalentes às bombas nucleares modernas, como a arma brahmaastra. Mantras específicos, no passado, podiam ser atados a flechas, com o som causando explosões poderosas no momento em que a flecha atingia seu alvo. Muitos também já utilizaram a ciência das vibrações para levar sua consciência a níveis superiores de percepção e para entrar em outras sutis realidades espirituais.                
Pode-se observar os resultados da exposição a determinadas freqüências em outros sentidos também. Pesquisas têm sido conduzidas para avaliar o impacto da música nas plantas e descobriu-se que algumas músicas são contribuintes enquanto outras não são tão benéficas para o crescimento de plantas. Pesquisas modernas também vêm sendo desenvolvidas no uso de certas vibrações (sons) e tons na cura de várias doenças. Enquanto a maioria das pesquisas têm seu foco em instrumentos musicais e outros instrumentos especiais, descobriu-se que a voz humana por si só é a ferramenta mais poderosa quando se trata de cura sonora. Medicinalmente, foi estudado e comprovado que cantar leva o corpo a produzir substâncias químicas benéficas que rendem benefícios para o cantor e o ouvinte de forma similar.


SOBRE A CURA DE SOM
Cura com som é uma das formas mais antigas e mais natural de cura conhecida para o homem. Por séculos e em todos os países e tradições, som harmonioso • Música - ou seja, tem sido usada como uma forma de acalmar a mente e as emoções, e em algumas culturas orientais há muito se percebeu que o efeito benéfico, na verdade, é muito mais profundo do que apenas um sentido de bem-estar emocional; harmoniosos sons também têm um efeito curativo sobre o corpo em um nível celular. Na Índia, a antiga ciência do efeito de vibrações musicais no organismo humano é chamado Yoga Nada. Os antigos egípcios e gregos também perceberam o poder de cura notável de som, e muitas vezes compostos e executados de música com o objetivo de cura.
COMO FUNCIONA
Para permitir uma compreensão de como Cura de som funciona, é útil para perceber que tudo na criação é realmente energia, vibrando em frequências diferentes. Os físicos modernos continuam a encontrar provas para apoiar essa crença. Por exemplo - densa, aparentemente objetos inanimados, como rochas, olhar como matéria sólida, mas estão em formas fato de energia vibrando em certas freqüências. Na outra extremidade do espectro, a luz vibra a uma frequência muito elevada. Tudo no universo é energia vibrante.
Como formas de energia, nós, como seres humanos também são energia vibrante. Dentro de uma determinada faixa de freqüências, o ouvido humano é capaz de perceber vibrações como o que chamamos de som • •. Cura de som é a aplicação terapêutica de freqüências de som para o corpo e mente de uma pessoa, com a intenção de levá-los a um estado de harmonia e saúde. Em geral, quanto mais harmonioso e este som é agradável, o mais vantajoso é a nós para fins de cura. Diferentes áreas do corpo responder aos sons feitos, travando ou incorporador • • o som e começa a vibrar nas mesmas freqüências, trazendo harmonia e cura.
PESQUISA
Alguns estudos interessantes foram feitos em água • expor as gotas de água para vários tipos diferentes de som e música - tanto harmoniosos e discordantes. Os resultados são muito demorado para entrar aqui, mas é interessante notar que as gotas de água sujeitos a heavy metal produzido um cristal de água fraca procura de forma irregular e estrutura, enquanto que as gotas submetido a música clássica determinado, nomeadamente Mozart, produziu uma água cristal de grande beleza e estrutura maravilhosamente complexa. O corpo humano é composto de 60% a 70% de água, o que o torna um bom condutor de som, assim, as conclusões que podem ser extraídas são óbvias. O renomado Som Terapeuta Dr. Alfred Tomatis, também concluiu seu trabalho neste campo, que de toda a música, Mozart • concertos para violino s parecem ter o maior efeito curativo sobre o corpo humano!
SOM tratamentos de curaTRATAMENTOS
Curandeiros de som usar várias maneiras de produzir som, incluindo taças tibetanas, instrumentos musicais, diapasões e da voz humana. O tipo de som que eu faço Cura inclui todos esses elementos, incluindo a voz, que soa com diferentes timbres ou notas, em ressonância com as diferentes partes do corpo para trazer cura em todos os níveis. Em investigação, a voz humana tem demonstrado ser um dos mais poderosos instrumentos e eficaz na cura. Os tons terapeuta, ou sons notas com a voz, cantando tigelas ou diapasões no corpo de energia sutil do cliente. Cada parte do corpo tem sua própria freqüência de ressonância. Se existe uma fraqueza em qualquer lugar, o som forte harmoniosa feita pela voz ou instrumentos irá estimular as células do corpo a vibrar em simpatia e trazer essa peça em harmonia. Esses sons também trabalhar os chakras ou centros de energia no corpo sutil • Se você faz o mesmo som que a ressonância do bloqueio, você pode quebrá-lo e dispersá-la. A aura • a camada de energia sutil que circunda nossos corpos, também é afetada pela música e som desta forma. Como em outras terapias os resultados nem sempre são imediatos • ele tende a ser um processo contínuo. Um tratamento de cura de som quase sempre resulta em que o cliente estar em um estado maravilhoso geral de calma e bem-estar, e, por vezes, dores corporais e estranhas dores já desapareceram.
Para resumir: a cura pelo som ou a música é uma forma antiga, mas natural de cura que foi provavelmente em uso desde o início da civilização. É um processo sutil, mas poderosa que a humanidade tem instintivamente utilizado ao longo dos anos, e que nesta era moderna a ciência está começando a encontrar evidências para e reconhecer. Espero ter dado algumas pistas de reflexão e estimulou você a experimentar!

De acordo com o ponto de vista esotérico, a música é o começo e o fim do universo. Todas as ações e movimentos feitos nos mundos visível e invisível são musicais. Isto é, eles são constituídos de vibrações pertencentes a um certo plano de existência. Em sânscrito, a música é chamada sangita, que significa três sujeitos: o cantar, o tocar e o dançar. Esses três estão combinados em toda ação. Por exemplo, na ação da fala há a voz significando o cantar, a pronunciação das palavras significando o tocar e os movimentos do corpo bem como a expressão da face significando o dançar.

A música oriental está inteiramente baseada sobre uma base filosófica e espiritual. O inventor dela foi Mahadeva, o senhor dos Iogues, e o maior músico foi Parvati, sua amada esposa. Krishna, a encarnação de Deus, era um músico hábil, que encantava ambos os mundos através da música de sua flauta, fazendo os Iogues dançarem. Bharata Muni, o maior santo hindu, foi o primeiro compositor de música. Os místicos, tal como Narada e Tumbara, foram grandes músicos. No céu dos Hindus o Deus Indra é entretido pelo canto clássico dos Gandharvas e pela dança dos Apsaras. A Deusa da música é Sarasvati, que também é a Deusa da sabedoria; ela é uma grande amante da Vina. Todo o sistema da religião e filosofia hindu está baseado na ciência das vibrações e é chamado de Nada Brahma, Deus-Som.

Foto: (((MÚSICA))) 

UM REMÉDIO SEM EFEITOS COLATERAIS?
A música tem efeitos neuroquímicos que podem melhorar o sistema imunológico, reduzir a ansiedade e até mesmo regular o humor. A descoberta é de uma dupla de psicólogos da Universidade de McGill, no Canadá.

A pesquisa aponta que certas músicas podem elevar a produção de imunoglobulina A (um tipo de anticorpo) e de glóbulos brancos, responsáveis por atacar invasores como bactérias e germes.

Os cientistas Mona Lisa Chanda e Daniel Levitin descobriram que ouvir ou até mesmo tocar música pode reduzir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, e elevar os níveis de oxitocina, relacionado ao bem-estar. Isso melhora o humor e facilita as interações sociais. Músicas mais lentas com melodias suaves tendem a ser mais relaxantes do que canções com ritmo mais rápido.

Para chegar a essa conclusão, Chanda e Levitin analisaram mais de 400 pesquisas que associam a música com processos neuroquímicos específicos. Vários estudos indicam que a música pode até mesmo controlar a dor.

A dupla canadense propõe que médicos e terapeutas comecem a levar a música mais a sério. Chanda e Levitin esperam que a música possa ser usada como calmante antes da cirurgia. A pesquisa dos canadenses destaca que tratamentos baseados em música não são invasivos e têm efeitos colaterais mínimos. Além disso, são baratos e "naturais".


Fonte: http://exame.abril.com.br/
Imagem: http://fonodanischepi.blogspot.com.br/

(((MÚSICA))) 
Foto: (((MÚSICA))) 

UM REMÉDIO SEM EFEITOS COLATERAIS?
A música tem efeitos neuroquímicos que podem melhorar o sistema imunológico, reduzir a ansiedade e até mesmo regular o humor. A descoberta é de uma dupla de psicólogos da Universidade de McGill, no Canadá.

A pesquisa aponta que certas músicas podem elevar a produção de imunoglobulina A (um tipo de anticorpo) e de glóbulos brancos, responsáveis por atacar invasores como bactérias e germes.

Os cientistas Mona Lisa Chanda e Daniel Levitin descobriram que ouvir ou até mesmo tocar música pode reduzir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, e elevar os níveis de oxitocina, relacionado ao bem-estar. Isso melhora o humor e facilita as interações sociais. Músicas mais lentas com melodias suaves tendem a ser mais relaxantes do que canções com ritmo mais rápido.

Para chegar a essa conclusão, Chanda e Levitin analisaram mais de 400 pesquisas que associam a música com processos neuroquímicos específicos. Vários estudos indicam que a música pode até mesmo controlar a dor.

A dupla canadense propõe que médicos e terapeutas comecem a levar a música mais a sério. Chanda e Levitin esperam que a música possa ser usada como calmante antes da cirurgia. A pesquisa dos canadenses destaca que tratamentos baseados em música não são invasivos e têm efeitos colaterais mínimos. Além disso, são baratos e "naturais".


Fonte: http://exame.abril.com.br/
Imagem: http://fonodanischepi.blogspot.com.br/
UM REMÉDIO SEM EFEITOS COLATERAIS?
A música tem efeitos neuroquímicos que podem melhorar o sistema imunológico, reduzir a ansiedade e até mesmo regular o humor. A descoberta é de uma dupla de psicólogos da Universidade de McG
ill, no Canadá.

A pesquisa aponta que certas músicas podem elevar a produção de imunoglobulina A (um tipo de anticorpo) e de glóbulos brancos, responsáveis por atacar invasores como bactérias e germes.

Os cientistas Mona Lisa Chanda e Daniel Levitin descobriram que ouvir ou até mesmo tocar música pode reduzir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, e elevar os níveis de oxitocina, relacionado ao bem-estar. Isso melhora o humor e facilita as interações sociais. Músicas mais lentas com melodias suaves tendem a ser mais relaxantes do que canções com ritmo mais rápido.

Para chegar a essa conclusão, Chanda e Levitin analisaram mais de 400 pesquisas que associam a música com processos neuroquímicos específicos. Vários estudos indicam que a música pode até mesmo controlar a dor.

A dupla canadense propõe que médicos e terapeutas comecem a levar a música mais a sério. Chanda e Levitin esperam que a música possa ser usada como calmante antes da cirurgia. A pesquisa dos canadenses destaca que tratamentos baseados em música não são invasivos e têm efeitos colaterais mínimos. Além disso, são baratos e "naturais".



           Células tumorais expostas à "Quinta Sinfonia", de Beethoven, perderam tamanho ou morreram


Mesmo quem não costuma escutar música clássica já ouviu, numerosas vezes, o primeiro movimento da "Quinta Sinfonia" de Ludwig van Beethoven. O "pam-pam-pam-pam" que abre uma das mais famosas composições da História, descobriu-se agora, seria capaz de matar células tumorais - em testes de laboratório. Uma pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ expôs uma cultura de células MCF-7, ligadas ao câncer de mama, à meia hora da obra. Um em cada cinco delas morreu, numa experiência que abre um nova frente contra a doença, por meio de timbres e frequências.

A estratégia, que parece estranha à primeira vista, busca encontrar formas mais eficientes e menos tóxicas de combater o câncer: em vez de radioterapia, um dia seria possível pensar no uso de frequências sonoras. O estudo inovou ao usar a musicoterapia fora do tratamento de distúrbios emocionais.
 

- Esta terapia costuma ser adotada em doenças ligadas a problemas psicológicos, situações que envolvam um componente emocional. Mostramos que, além disso, a música produz um efeito direto sobre as células do nosso organismo - ressalta Márcia Capella, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, coordenadora do estudo.
 

Como as MCF-7 duplicam-se a cada 30 horas, Márcia esperou dois dias entre a sessão musical e o teste dos seus efeitos. Neste prazo, 20% da amostragem morreram. Entre as células sobreviventes, muitas perderam tamanho e granulosidade.
 

O resultado da pesquisa é enigmático até mesmo para Márcia. A composição "Atmosphères", do húngaro György Ligeti, provocou efeitos semelhantes àqueles registrados com Beethoven. Mas a "Sonata para 2 pianos em ré maior", de Wolfgang Amadeus Mozart, uma das mais populares em musicoterapia, não teve efeito.
 

- Foi estranho, porque esta sonata provoca algo conhecido como o "efeito Mozart", um aumento temporário do raciocínio espaço-temporal - pondera a pesquisadora. - Mas ficamos felizes com o resultado. Acreditávamos que as sinfonias provocariam apenas alterações metabólicas, não a morte de células cancerígenas.
 

"Atmosphères", diferentemente da "Quinta Sinfonia", é uma composição contemporânea, caracterizada pela ausência de uma linha melódica. Por que, então, duas músicas tão diferentes provocaram o mesmo efeito?
 

Aliada a uma equipe que inclui um professor da Escola de Música Villa-Lobos, Márcia, agora, procura esta resposta dividindo as músicas em partes. Pode ser que o efeito tenha vindo não do conjunto da obra, mas especificamente de um ritmo, um timbre ou intensidade.
 

Em abril, exposição a samba e funk
 

Quando conseguir identificar o que matou as células, o passo seguinte será a construção de uma sequência sonora especial para o tratamento de tumores. O caminho até esta melodia passará por outros gêneros musicais. A partir do mês que vem, os pesquisadores testarão o efeito do samba e do funk sobre as células tumorais.
 

- Ainda não sabemos que música e qual compositor vamos usar. A quantidade de combinações sonoras que podemos estudar é imensa - diz a pesquisadora.
 

Outra via de pesquisa é investigar se as sinfonias provocaram outro tipo de efeito no organismo. Por enquanto, apenas células renais e tumorais foram expostas à música. Só no segundo grupo foi registrada alguma alteração.
 

A pesquisa também possibilitou uma conclusão alheia às culturas de células. Como ficou provado que o efeito das músicas extrapola o componente emocional, é possível que haja uma diferença entre ouvi-la com som ambiente ou fone de ouvido.
 

- Os resultados parciais sugerem que, com o fone de ouvido, estamos nos beneficiando dos efeitos emocionais e desprezando as consequências diretas, como estas observadas com o experimento - revela Márcia. 


Fonte: O Globo - Renato Grandelle http://oglobo.globo.com/ 

Segue um link para vcs ouvirem :
http://www.youtube.com/watch?v=ivvn04Zdxt4

Solange Christtine Ventura
Fonte: http://exame.abril.com.br/
Imagem: http://fonodanischepi.blogspot.com.br/