Sementes da Alma

Sementes da Alma




Perguntaram à Flor, de onde vinha. Ela respondeu: 
De uma semente de amor que não se acovardou."
Ana Jácomo




"A neve e as tempestades matam as flores,
 mas nada podem contra as sementes."


Khalil Gibran



                                          Foto: walnut of eden-Nader arte de Vladimir Kush

"Sinto-me como uma semente no meio do inverno, sabendo que a primavera se aproxima. O broto romperá a casca e a vida que ainda dorme em mim haverá de subir para a superfície, quando for chamada. O silêncio é doloroso, mas é no silêncio que as coisas tomam forma, e existe momentos em nossas vidas que tudo que devemos fazer é esperar. Dentro de cada um, no mais profundo no ser, está uma força que vê e escuta aquilo que não podemos ainda perceber. Tudo o que somos hoje nasceu daquele silêncio de ontem. Somos muito mais capazes do que pensamos. Há momentos em que a única maneira de aprender é não tomar qualquer iniciativa, não fazer nada. Porque, mesmo nos momentos de total inação, esta nossa parte secreta está trabalhando e aprendendo. Quando o conhecimento oculto na alma se manifesta, ficamos surpresos conosco mesmos, e nossos pensamentos de inverno se transformam em flores, que cantam canções nunca antes sonhadas. A vida sempre nos dará mais do que achamos que merecemos".

Gibran Khalil Gibran - Trechos do livro Cartas de amor
Imagem: Internet
                                


Parece milagre, mas as sementes de cura começam a florescer nos mesmos jardins onde parecia que nenhuma outra flor brotaria.
A alma é sábia: enquanto achamos que só existe dor, ela trabalha, em silêncio, para tecer o momento novo. E ele chega..."

Ana Jácomo
Foto: Nader
 de Vladimir Kush

Conceitos Sobre O Tempo
É interessante pensar sobre o tempo...

Costuma-se dizer que o tempo não existe da forma como o concebemos, ou seja, ele não é material, palpável, controlável nos mecanismos de um relógio. Se assim fosse, todos nós o sentiríamos em igual grau. Porém, não é o que acontece...

Existem pessoas que não vêem o tempo passar e outras que se angustiam com a lerdeza dos ponteiros do relógio de parede. Há aquelas em que o passado não cessa de se repetir e ainda os que vislumbram o futuro tão obsessivamente que nunca nada do que idealizaram se torna real. De toda forma, todas essas pessoas vivem numa ilusão do tempo.

Pelo espiritismo (e também para Osho), o Tempo não é linear, com começo, meio e  fim, ou em palavras temporais: passado, presente e futuro. O Tempo é cíclico, circular, em espiral e o que temos realmente é apenas o presente. O Presente é eterno. Ele nunca começou e nunca terá fim. O momento em que você iniciou esta leitura, já se tornou passado e quando você terminar de ler, este instante já será seu futuro. Dessa forma, transitamos num momento único e ele nos foge das mãos constantemente. Quem pode segurar de fato o presente? Isso é possível? Deve-se querer reter dentro de nossas mentes os acontecimentos? O Tempo em si?

Pois podemos perceber que o Tempo que tanto discutimos é a interpretação do momento presente dentro da nossa mente. São as imagens mentais que mesclam recordações com projeções futuras, que nos atormentam e nos fazem perder o foco da realidade do instante atual. Perdemos tanto tempo iludidos e mergulhados em pensamentos (essas formas imateriais de energia que pulsam através de nós) que não realizamos nada no presente.

Vamos nos esforçar por limpar nossa mente de pensamentos de coisas que já não existem mais. Vamos nos libertar de sentimentos, conceitos, de todo esse lixo que acobertamos sob o tapete de nossas recordações. Vamos nos livrar de projeções futuras ilusórias.

Se nos concentrarmos totalmente no presente, construindo o bem, realizando aquilo que melhor sabemos fazer, com certeza estaremos semeando um caminho cheio de alegrias e, ao invés de sonhar com um futuro glorioso, vamos desejar um eterno presente cheio de prosperidade e felicidade. Afinal, as sementes que você planta hoje, são colhidas amanhã. Neste amanhã, você as recebe e planta novamente. Assim, o ciclo não se acaba, assim como seu contentamento.

Muitos reclamam do momento atual, porque é triste e sem perspectiva. Ora, o hoje é a colheita do ontem. Como essas pessoas estavam ontem? Alegres e produtivas? Não. Como, então, esperar por mágica se tudo é regido pelas leis de ação e reação?

É possível que ainda passemos anos sofrendo as conseqüências de dias amargos, em que ficaremos presos em mágoas passadas e projeções irreais do futuro. Mas, se mudarmos nosso enfoque agora, a tendência é que a cada dia, esse amargor seja mais leve e suportável, até o instante em que só receberemos sensações boas e toda dor terá sido extirpada.
Pense nisso. Liberte sua mente do tempo. Viva agora, sem pensamentos, sem julgamentos. Apenas receba o que vier e trabalhe para seu adiantamento moral, praticando a caridade. Assim, o futuro bom da Humanidade deixará de ser Utopia. Será apenas mais uma bela colheita das sementes que plantamos.



Conceitos Sobre O Tempo
É interessante pensar sobre o tempo...

Costuma-se dizer que o tempo não existe da forma como o concebemos, ou seja, ele não é material, palpável, controlável nos mecanismos de um relógio. Se assim fosse, todos nós o sentiríamos em igual grau. Porém, não é o que acontece...

Existem pessoas que não vêem o tempo passar e outras que se angustiam com a lerdeza dos ponteiros do relógio de parede. Há aquelas em que o passado não cessa de se repetir e ainda os que vislumbram o futuro tão obsessivamente que nunca nada do que idealizaram se torna real. De toda forma, todas essas pessoas vivem numa ilusão do tempo.

Pelo espiritismo (e também para Osho), o Tempo não é linear, com começo, meio e fim, ou em palavras temporais: passado, presente e futuro. O Tempo é cíclico, circular, em espiral e o que temos realmente é apenas o presente. O Presente é eterno. Ele nunca começou e nunca terá fim. O momento em que você iniciou esta leitura, já se tornou passado e quando você terminar de ler, este instante já será seu futuro. Dessa forma, transitamos num momento único e ele nos foge das mãos constantemente. Quem pode segurar de fato o presente? Isso é possível? Deve-se querer reter dentro de nossas mentes os acontecimentos? O Tempo em si?

Pois podemos perceber que o Tempo que tanto discutimos é a interpretação do momento presente dentro da nossa mente. São as imagens mentais que mesclam recordações com projeções futuras, que nos atormentam e nos fazem perder o foco da realidade do instante atual. Perdemos tanto tempo iludidos e mergulhados em pensamentos (essas formas imateriais de energia que pulsam através de nós) que não realizamos nada no presente.

Vamos nos esforçar por limpar nossa mente de pensamentos de coisas que já não existem mais. Vamos nos libertar de sentimentos, conceitos, de todo esse lixo que acobertamos sob o tapete de nossas recordações. Vamos nos livrar de projeções futuras ilusórias. 

Se nos concentrarmos totalmente no presente, construindo o bem, realizando aquilo que melhor sabemos fazer, com certeza estaremos semeando um caminho cheio de alegrias e, ao invés de sonhar com um futuro glorioso, vamos desejar um eterno presente cheio de prosperidade e felicidade. Afinal, as sementes que você planta hoje, são colhidas amanhã. Neste amanhã, você as recebe e planta novamente. Assim, o ciclo não se acaba, assim como seu contentamento.

Muitos reclamam do momento atual, porque é triste e sem perspectiva. Ora, o hoje é a colheita do ontem. Como essas pessoas estavam ontem? Alegres e produtivas? Não. Como, então, esperar por mágica se tudo é regido pelas leis de ação e reação?

É possível que ainda passemos anos sofrendo as conseqüências de dias amargos, em que ficaremos presos em mágoas passadas e projeções irreais do futuro. Mas, se mudarmos nosso enfoque agora, a tendência é que a cada dia, esse amargor seja mais leve e suportável, até o instante em que só receberemos sensações boas e todo carma terá sido extirpado.


Pense nisso. Liberte sua mente do tempo. Viva agora, sem pensamentos, sem julgamentos. Apenas receba o que vier e trabalhe para seu adiantamento moral, praticando a caridade. Assim, o futuro bom da Humanidade deixará de ser Utopia. Será apenas mais uma bela colheita.

 arte de Vladimir Kush 
Poucos desabrocham
A maioria morre
Como uma semente
Cheia de vida 
e potencial
porém,fechada

Ao desabrochar
a semente se desfaz
destroi todas as camadas
e ascende ao desconhecido

Não há vida se não florescer
A essencia eterna
Que habita em você




TUDO DEVE SER BASEADO NO AMOR
“Mantenha-se na consciência de que você é o Atma imortal - santo, puro e Divino. 
Isto lhe dará coragem inabalável e força.
 Então, você desenvolverá amor e respeito mútuos. 
Tolere todos os tipos de pessoas e opiniões, todas as atitudes e peculiaridades.
A escola, sua casa, seu local de trabalho e sociedade - todos esses são campos de treinamento para a tolerância. Cada um deve estar ciente de seus deveres e direitos. Todas as relações devem ser baseadas no amor, e não medo. Somente a atmosfera de amor pode garantir cooperação feliz e concórdia. Acima de tudo, seja bom, honesto e bem-educado. Isso tornará seus títulos e realizações mais desejáveis e valiosos.”


Sathya Sai Baba
http://auxilioemocional.blogspot.com.br/ 
Que dos céus caiam chuvas de bençãos sobre ti,
que possas senti-las nas palmas da mão e conserva-las no
coração.
Grata por sua visita.




PARAMAHANSA YOGANANDA


É DEUS:

Quando vires um lindo por do sol, pensa contigo mesmo: "É Deus pintando o céu". 
Ao fitar o rosto de cada pessoa que encontrares pensa interiormente: "É Deus que assumiu esta forma".  
Aplica esta linha de pensamento a todas as experiências: "O sangue no meu corpo é Deus, a razão na minha mente é Deus, o amor em meu coração é Deus, tudo o que existe é Deus

Praticando a paz de espírito
Em geral, existem dois tipos de pessoas: as que constantemente lamentam o que está errado no mundo, e as que sorriem das dificuldades da vida, permanecendo sempre com o pensamento positivo. Por que levar tudo tão a sério? Que maravilhoso seria o mundo se cada um fosse mais positivo, mais harmonioso! 

O teste está na selva da civilização, no estresse da vida moderna. Tudo o que você der, voltará a você. Odeie e receberá ódio em troca. Quando você se encher de pensamentos e emoções desarmoniosos, estará se destruindo. Por que odiar ou ter raiva de alguém? Ame seus inimigos. Por que cozinhar no fogo da ira? Se ficar com raiva, vença-a imediatamente. Dê uma caminhada, conte até 10 ou 15, ou desvie a mente para algo agradável. Abandone o desejo de retaliação. Quando você fica irado, o cérebro se superaquece, o coração tem problemas vasculares, todo o seu corpo se desvitaliza. 


Irradie paz e bondade, pois essa é a natureza da imagem de Deus em você - sua verdadeira natureza. Então, ninguém poderá perturbá-lo.



Paramahansa Yogananda, in A eterna busca do homem



Amor em expansão 









Pai Celestial, recebe este alimento e santifica-O. Todo alimento vem de Ti para alimentar Teu Templo, que é nosso Corpo. 
Espiritualiza-O. O Espírito volta ao Espírito. Nós somos as Tuas pétalas, mas Tu és a Flor, a Beleza e a Vida. 
Permita que nossas almas sintam a Tua presença. 
( Swami Paramahamsa Yogananda. Em: Yoga da alimentação natural - Chiang Sing )

PARAMAHANSA YOGANANDA - 
Iogue, escritor, educador e palestrante místico hindu, fundador da Organização Selph-Realization Fellowship-SRF - 1893-1952.





SEREMOS VISTOS NESTE PALCO DA VIDA:

Seremos vistos neste palco da vida tantas vezes quantas forem necessárias, até nos tornarmos tão bons atores que seremos capazes de representar nossa parte com perfeição, e de acordo com a Vontade Divina. Então o Supremo Diretor dirá: "Você não precisa mais ‘sair’ (Apocalipse 3:12). Você realizou de acordo com a minha vontade e cumpriu bem o seu papel. Você não perdeu a coragem. Agora você voltou para Mim, para ser uma coluna de imortalidade na mansão da minha Eterna Existência. Fonte: Livro: A Eterna Busca do Homem - Paramahansa Yogananda -

PARAMAHANSA YOGANANDA - Iogue, escritor, educador e palestrante místico hindu, fundador da Organização Selph-Realization Fellowship-SRF - 1893-1952. 








É DEUS:

Quando vires um lindo por do sol, pensa contigo mesmo: "É Deus pintando o céu". 
Ao fitar o rosto de cada pessoa que encontrares pensa interiormente: "É Deus que assumiu esta forma".  
Aplica esta linha de pensamento a todas as experiências: "O sangue no meu corpo é Deus, a razão na minha mente é Deus, o amor em meu coração é Deus, tudo o que existe é Deus".


    



SOU FEITO A SUA IMAGEM: 

Senhor, Tu estás dentro e ao redor de mim. 
Estou na Fortaleza de Tua Presença. 
Tenho lutado na vida cercado por muitos tipos de inimigos mortais. 
Agora percebo, que na verdade, eles não são agentes de destruição. 
Tu me puseste na terra para testar o meu poder. 
Vou vencê-los com a onipotência de Tua presença. 
E quando tiver passado pela batalha da vida direi: 
"Senhor, foi difícil ser corajoso e lutar, mas quanto maior foi o meu terror, maior ainda foi a força dentro de mim dada por Ti, com a qual venci e percebi que sou feito a Tua imagem. 
Tu és o Rei do Universo, e eu sou Teu filho, um Príncipe do Universo. 
De que terei medo?


QUANDO EU ERA CEGO:

Oh, Pai, quando eu era cego não encontrava nenhuma porta que levasse a Ti. 
Tu curaste meus olhos; agora descubro portas em todos lugares: os corações das flores, as vozes de amizade, as recordações de experiências adoráveis.
A cada prece proferida, abre-se em mim uma nova entrada ao vasto templo da Tua presença. Fonte: Paramahansa Yogananda, "Whispers From Eternity"





Pai Celestial, recebe este alimento e santifica-O. 

Todo alimento vem de Ti para alimentar 
Teu Templo, 
que é nosso Corpo. 

Espiritualiza-O. 
O Espírito volta ao Espírito. 
Nós somos as Tuas pétalas, 
mas Tu és a Flor, 
a Beleza 
e a Vida. 

Permita que nossas almas sintam a Tua presença. 

( Swami Paramahamsa Yogananda. Em: Yoga da alimentação natural - Chiang Sing )

Pensamentos soltos - Yoganandaji



"Todas as religiões verdadeiras levam a Deus", disse Paramahansaji. "Procura até encontrares o ensinamento espiritual que atraia e satisfaça plenamente teu coração. E, ao encontra-lo, não permitas que nada afete a tua lealdade. Dedica a esse caminho toda a tua atenção. Focaliza tua consciência totalmente nele e alcaçarás os resultados que procuras"




Reverencio o Pai Único, Infinito, manifestado de várias formas em todas as igrejas e templos 
 que foram erguidos em sua honra. Adoro o Deus único que repousa sobre os altares variados 
dos diferentes ensinamentos e credos religiosos.
 (Paramahansa Yogananda)a


Amor em expansão - Yogananda


O reino do meu amor há de se expandir.
Tenho amado mais meu corpo que qualquer outra coisa
Por isso estou identificado com ele e limitado por ele.
Com o amor que tenho dedicado a meu corpo, amarei todos aqueles que me amam.
Com o amor expandido daqueles que me amam, amarei os que fazem parte da minha vida.
Com o amor que sinto por mim e pelos meus, amarei os estranhos.
Usarei todo meu amor para amar tanto os que não me amam quanto os que me amam.
Banharei todas as almas em meu amor sem egoísmo.
No oceano do amor, nadarão meus familiares, meus compatriotas, todas as nações e todas as criaturas.
A criação inteira, as miríades de minúsculos seres vivos dançarão sobre as ondas de meu amor.

Paramahansa Yogananda


Poemas 
Samadhi 
 Paramahansa Yogananda


Samadhi

Levantados os véus de luz e sombra,
Evaporada toda a bruma de tristeza,
Singrado para longe todo o amanhecer de alegria transitória,
Desvanecida a turva miragem dos sentidos.

Amor, 
ódio, 
saúde, 
doença, 
vida, 
morte:
Extinguiram-se estas sombras falsas na tela da dualidade.

A tempestade de maya serenou
Com a varinha mágica da intuição profunda.

Presente, 
passado, 
futuro, 
já não existem para mim,
Somente o Eu sempiterno,  
onifluente, 
Eu, 
em toda parte.

Planetas, 
estrelas, 
poeira de constelações, 
terra,
Erupções vulcânicas de cataclismos do juízo final,

A fornalha modeladora da criação,
Geleiras de silenciosos raios X,
dilúvios de elétrons ardentes,

Pensamentos de todos os homens, 
pretéritos,
presentes, 
Futuros,

Toda folhinha de grama, 
eu mesmo, 
a humanidade,
Cada partícula da poeira universal,
Raiva, 
ambição, 
bem, 
mal, 
salvação, 
luxúria,

Tudo assimilei, tudo transmutei
No vasto oceano de sangue de meu próprio Ser indiviso.

Júbilo em brasa,
freqüentemente abanado pela meditação,
Cegando meus olhos marejados,
Explodiu em labaredas imortais de bem-aventurança,
Consumiu minhas lágrimas, 
meus limites,
meu todo.

Tu és Eu, 
Eu sou Tu,

O Conhecer, 
o Conhecedor, 
o Conhecido,
unificados!

Palpitação tranqüila,
ininterrupta, 
Paz sempre nova,

Eternamente viva.

Deleite transcendente 
a todas as expectativas da imaginação,

Beatitude do Samadhi!

Nem estado inconsciente,
Nem clorofórmio mental sem regresso voluntário,

Samadhi 

Amplia meu reino consciente
Para além dos limites de minha moldura mortal
Até a mais longínqua fronteira da 
Eternidade,

Onde Eu, 
o Mar Cósmico,
Observo o pequeno ego flutuando em Mim.

Ouvem-se, 
dos átomos, 
murmúrios móveis;

A terra escura, 
montanhas, 
vales são líquidos em fusão!

Mares fluidos convertem-se em vapores de nebulosas!

Om 

sopra sobre os vapores, 
descortinando prodígios.

Mais além,
Oceanos desdobram-se revelados, 
elétrons cintilantes,

Até que ao último som do tambor cósmico,
Transfundem-se as luzes mais densas em raios eternos
De bem-aventurança que em tudo se infiltra.

Da alegria eu vim, 
para a alegria eu vivo, 
na sagrada alegria,
Dissolvo-me.

Oceano da mente; 
bebo todas as ondas da criação. 
Os quatro véus do sólido, 
líquido, 
gasoso, 
e luminoso,
Levantados.

Eu, 
em tudo, 
penetro no Grande Eu.

Extintas para sempre as vacilantes,
tremeluzentes sombras,
Das lembranças mortais:
Imaculado é meu céu mental 
– abaixo, 
à frente 
e bem acima;
Eternidade e Eu, 
um só raio unido.

Pequenina bolha de riso,
eu,
Converti-me no próprio Mar da Alegria!  
  
Paramahansa Yogananda 



Pensamentos 

Pai, transfere a minha consciência das limitações que me são sugeridas pelos outros 
e por meus próprios pensamentos de fraqueza, para a compreensão de que eu,
 Teu filho, sou o dono de Teu reino de infinitas riquezas! 

Rastejar, o homem sabe muito bem; o desespero raramente lhe parece um estranho; estas perversões, entretanto, não pertencem ao verdadeiro destino do homem. Quando quiser, ele se colocará na senda da liberdade. Durante demasiado tempo, ele deu ouvidos ao deprimente pessimismo de seus conselheiros que proclamam “tu és pó”, sem atentar para a natureza indomável da alma. (Autobiografia)

 Yogananda 
O reino do meu amor há de se expandir.
Tenho amado mais meu corpo que qualquer outra coisa
Por isso estou identificado com ele e limitado por ele.
Com o amor que tenho dedicado a meu corpo, amarei todos aqueles que me amam.
Com o amor expandido daqueles que me amam, amarei os que fazem parte da minha vida.
Com o amor que sinto por mim e pelos meus, amarei os estranhos.
Usarei todo meu amor para amar tanto os que não me amam quanto os que me amam.
Banharei todas as almas em meu amor sem egoísmo.
No oceano do amor, nadarão meus familiares, meus compatriotas, todas as nações e todas as criaturas.
A criação inteira, as miríades de minúsculos seres vivos dançarão sobre as ondas de meu amor.

Paramahansa Yogananda

http://auxilioemocional.blogspot.com.br/


Pensamentos soltos - Yoganandaji
"Todas as religiões verdadeiras levam a Deus", disse Paramahansaji. "Procura até encontrares o ensinamento espiritual que atraia e satisfaça plenamente teu coração. E, ao encontra-lo, não permitas que nada afete a tua lealdade. Dedica a esse caminho toda a tua atenção. Focaliza tua consciência totalmente nele e alcaçarás os resultados que procuras"

Reverencio o Pai Único, Infinito, manifestado de várias formas em todas as igrejas e templos
 que foram erguidos em sua honra. Adoro o Deus único que repousa sobre os altares variados
dos diferentes ensinamentos e credos religiosos.
 (Paramahansa Yogananda)
a


Amor em expansão - Yogananda


O reino do meu amor há de se expandir.
Tenho amado mais meu corpo que qualquer outra coisa
Por isso estou identificado com ele e limitado por ele.
Com o amor que tenho dedicado a meu corpo, amarei todos aqueles que me amam.
Com o amor expandido daqueles que me amam, amarei os que fazem parte da minha vida.
Com o amor que sinto por mim e pelos meus, amarei os estranhos.
Usarei todo meu amor para amar tanto os que não me amam quanto os que me amam.
Banharei todas as almas em meu amor sem egoísmo.
No oceano do amor, nadarão meus familiares, meus compatriotas, todas as nações e todas as criaturas.
A criação inteira, as miríades de minúsculos seres vivos dançarão sobre as ondas de meu amor.

Paramahansa Yogananda


* Prana - do sânscrito - sopro vital; força vital; energia.


Poemas
 Paramahansa Yogananda

Samadhi

Levantados os véus de luz e sombra,
Evaporada toda a bruma de tristeza,
Singrado para longe todo o amanhecer de alegria transitória,
Desvanecida a turva miragem dos sentidos.

Amor,
ódio,
saúde,
doença,
vida,
morte:
Extinguiram-se estas sombras falsas na tela da dualidade.

A tempestade de maya serenou
Com a varinha mágica da intuição profunda.

Presente,
passado,
futuro,
já não existem para mim,
Somente o Eu sempiterno,
onifluente,
Eu,
em toda parte.

Planetas,
estrelas,
poeira de constelações,
terra,
Erupções vulcânicas de cataclismos do juízo final,

A fornalha modeladora da criação,
Geleiras de silenciosos raios X,
dilúvios de elétrons ardentes,

Pensamentos de todos os homens,
pretéritos,
presentes,
Futuros,

Toda folhinha de grama,
eu mesmo,
a humanidade,
Cada partícula da poeira universal,
Raiva,
ambição,
bem,
mal,
salvação,
luxúria,

Tudo assimilei, tudo transmutei
No vasto oceano de sangue de meu próprio Ser indiviso.

Júbilo em brasa,
freqüentemente abanado pela meditação,
Cegando meus olhos marejados,
Explodiu em labaredas imortais de bem-aventurança,
Consumiu minhas lágrimas,
meus limites,
meu todo.

Tu és Eu,
Eu sou Tu,

O Conhecer,
o Conhecedor,
o Conhecido,
unificados!

Palpitação tranqüila,
ininterrupta,
Paz sempre nova,

Eternamente viva.

Deleite transcendente
a todas as expectativas da imaginação,

Beatitude do Samadhi!

Nem estado inconsciente,
Nem clorofórmio mental sem regresso voluntário,

Samadhi

Amplia meu reino consciente
Para além dos limites de minha moldura mortal
Até a mais longínqua fronteira da
Eternidade,

Onde Eu,
o Mar Cósmico,
Observo o pequeno ego flutuando em Mim.

Ouvem-se,
dos átomos,
murmúrios móveis;

A terra escura,
montanhas,
vales são líquidos em fusão!

Mares fluidos convertem-se em vapores de nebulosas!

Om

sopra sobre os vapores,
descortinando prodígios.

Mais além,
Oceanos desdobram-se revelados,
elétrons cintilantes,

Até que ao último som do tambor cósmico,
Transfundem-se as luzes mais densas em raios eternos
De bem-aventurança que em tudo se infiltra.

Da alegria eu vim,
para a alegria eu vivo,
na sagrada alegria,
Dissolvo-me.

Oceano da mente;
bebo todas as ondas da criação.
Os quatro véus do sólido,
líquido,
gasoso,
e luminoso,
Levantados.

Eu,
em tudo,
penetro no Grande Eu.

Extintas para sempre as vacilantes,
tremeluzentes sombras,
Das lembranças mortais:
Imaculado é meu céu mental
– abaixo,
à frente
e bem acima;
Eternidade e Eu,
um só raio unido.

Pequenina bolha de riso,
eu,
Converti-me no próprio Mar da Alegria!
Paramahansa Yogananda

Pensamentos
Pai, transfere a minha consciência das limitações que me são sugeridas pelos outrose por meus próprios pensamentos de fraqueza, para a compreensão de que eu, Teu filho, sou o dono de Teu reino de infinitas riquezas!


Faz com que seu amor brilhe para sempre no santuário da divina devoção e possa despertar o amor divino em todos os corações.
Com um coração cheio de saudade, com uma mente plena de ardor e com todo o fervor da minha alma, deposito aos pés da sua onipresença todas as flores de devoção.
Oh Espírito, no templo da natureza te adoro como beleza e inteligência.


No templo da atividade te venero como poder, como paz e eternidade no silêncio interior.













O reino do meu amor há de se expandir.
Tenho amado mais meu corpo que qualquer outra coisa
Por isso estou identificado com ele e limitado por ele.
Com o amor que tenho dedicado a meu corpo, amarei todos aqueles que me amam.
Com o amor expandido daqueles que me amam, amarei os que fazem parte da minha vida.
Com o amor que sinto por mim e pelos meus, amarei os estranhos.
Usarei todo meu amor para amar tanto os que não me amam quanto os que me amam.
Banharei todas as almas em meu amor sem egoísmo.
No oceano do amor, nadarão meus familiares, meus compatriotas, todas as nações e todas as criaturas.
A criação inteira, as miríades de minúsculos seres vivos dançarão sobre as ondas de meu amor.



Faz com que seu amor brilhe para sempre no santuário da divina devoção e possa despertar o amor divino em todos os corações.
Com um coração cheio de saudade, com uma mente plena de ardor e com todo o fervor da minha alma, deposito aos pés da sua onipresença todas as flores de devoção.
Oh Espírito, no templo da natureza te adoro como beleza e inteligência.
No templo da atividade te venero como poder, como paz e eternidade no silêncio interior.

Me inclino diante o Cristo que se encontra tanto nos templos de todos os meus irmãos, os seres humanos, como no templo de tudo o que vive e respira.
Ensina-me ó Pai, a sentir que Tu és o poder que existe no fundo de toda riqueza e o verdadeiro valor de todas coisas.
Ao encontrar-Te primeiramente, encontrarei a Ti em todos os demais.
Deus é Paz.
Entrego-me a paz infinita que reina em meu interior.
Deus é a bem-aventurança sempre renovada na meditação.
Entrego-me ao grande amor que existe em meu interior.

Ensina-me a tomar consciência de que Tu és o poder que me mantem vivo e próspero, e que me impulsiona na busca da verdade.
Sou uma chama do infinito, e não somente carne e ossos.
Sou luz."

Rastejar, o homem sabe muito bem; o desespero raramente lhe parece um estranho; estas perversões, entretanto, não pertencem ao verdadeiro destino do homem. Quando quiser, ele se colocará na senda da liberdade. Durante demasiado tempo, ele deu ouvidos ao deprimente pessimismo de seus conselheiros que proclamam “tu és pó”, sem atentar para a natureza indomável da alma. (Autobiografia)
 Yogananda


"O almíscar é uma substância valiosa, extremamente aromática, contida numa bolsa sob a pele do abdome do almiscareiro macho, que habita os elevados picos dos Himalaias. Quando o almiscareiro alcança certa idade, o odor penetrante do almíscar começa a exsudar dessa bolsa. O almiscareiro fica excitado pelo aroma delicioso e pula para lá e para cá, farejando sob as árvores e furnas, buscando em toda a parte – às vezes por muitas semanas -, procurando a fonte da persistente fragrância. Incapaz de localizar o perfume tantalizante, ele se torna extremamente inquieto e, em seguida, irritado. Em sua agitação e num esforço último e desesperado de encontrar a fonte da essência enlouquecedora, sabe-se de casos em que o almiscareiro salta dos altos picos alcantilados e cai para a morte no vale que se estende abaixo. Os caçadores, achando os cadáveres, cortam a almejada bolsa do almíscar.

Um bardo iluminado cantou certa vez: "Ó tolo almiscareiro: buscaste a fragrância em toda a parte, exceto em seu próprio corpo. Eis porque não a encontraste. Se pelo menos tivesses voltado tua busca para ti mesmo, terias encontrado o almíscar almejado e terias salvo a ti mesmo da morte sobre as rochas abaixo das montanhas".

A maior parte das pessoas se comporta como o almiscareiro. Buscam a felicidade elusiva, sempre fragrante, por toda a parte, fora delas próprias. E quando, finalmente, não podem achar a verdadeira felicidade, cuja fonte jaz oculta nos recônditos secretos de suas próprias almas, pulam dos picos alcantilados das esperanças elevadas e se despedaçam nas pedras da desilusão.

Ó tolo almiscareiro humano, se pelo menos voltasses tua mente para dentro, na meditação diária profunda, acharias a fonte de toda verdadeira e duradoura felicidade no silêncio mais recôndito de tua própria alma. Bem-amado que estás à procura da felicidade: não sejas como o almiscareiro, perecendo na vã busca exterior: Desperta! E, na caverna da meditação profunda, encontra a felicidade eterna dentro de teu imortal Ser."



Samadhi - (PARAMAHANSA YOGANANDA)
"Levantados os véus de luz e sombra,
Evaporada toda a bruma de tristeza,
Singrado para longe todo o amanhecer de alegria transitória,
Desvanecida a turva miragem dos sentidos.

Amor, ódio, saúde, doença, vida, morte:
Extinguiram-se estas sombras falsas na tela da dualidade.

A tempestade de maya serenou
Com a varinha mágica da intuição profunda.

Presente, passado, futuro, já não existem para mim,
Somente o Eu sempiterno, onifluente, Eu, em toda parte.

Planetas, estrelas, poeira de constelações, terra,
Erupções vulcânicas de cataclismos do juízo final,
A fornalha modeladora da criação,
Geleiras de silenciosos raios X, dilúvios de elétrons ardentes,
Pensamentos de todos os homens, pretéritos, presentes, Futuros,
Toda folhinha de grama, eu mesmo, a humanidade,
Cada partícula da poeira universal,
Raiva, ambição, bem, mal, salvação, luxúria,
Tudo assimilei, tudo transmutei 
No vasto oceano de sangue de meu próprio Ser indiviso.

Júbilo em brasa, freqüentemente abanado pela meditação,
Cegando meus olhos marejados,
Explodiu em labaredas imortais de bem-aventurança,
Consumiu minhas lágrimas, meus limites, meu todo.

Tu és Eu, Eu sou Tu,
O Conhecer, o Conhecedor, o Conhecido, unificados!

Palpitação tranqüila, ininterrupta, paz sempre nova,
Eternamente viva.

Deleite transcendente a todas as expectativas da imaginação,
Beatitude do samadhi!

Nem estado inconsciente,
Nem clorofórmio mental sem regresso voluntário,
Samadhi amplia meu reino consciente
Para além dos limites de minha moldura mortal
Até a mais longínqua fronteira da eternidade,
Onde Eu, o Mar Cósmico,
Observo o pequeno ego flutuando em Mim.

Ouvem-se, dos átomos, murmúrios móveis;
A terra escura, montanhas, vales são líquidos em fusão!

Mares fluidos convertem-se em vapores de nebulosas!

Om sopra sobre os vapores, descortinando prodígios.

Mais além,
Oceanos desdobram-se revelados, elétrons cintilantes,
Até que ao último som do tambor cósmico,
Transfundem-se as luzes mais densas em raios eternos
De bem-aventurança que em tudo se infiltra.

Da alegria eu vim, para a alegria eu vivo, na sagrada alegria,
Dissolvo-me.

Oceano da mente; bebo todas as ondas da criação. 

Os quatro véus do sólido, líquido, gasoso, e luminoso,
Levantados.

Eu, em tudo, penetro no Grande Eu.

Extintas para sempre as vacilantes, tremeluzentes sombras,
Das lembranças mortais:
Imaculado é meu céu mental – abaixo, à frente e bem acima;
Eternidade e Eu, um só raio unido.

Pequenina bolha de riso, eu,
Converti-me no próprio Mar da Alegria."






"Quando eu sorrio

Em mim Tu sorris.

Quando eu choro

Em mim está o Teu pranto.

Quando eu acordo

É meu Teu bom dia.

Quando eu ando

Caminhas comigo.

Tu sorris e chora

Despertas e andas

Tal qual eu:

Minha imagem és Tu.

Mas...se eu sonho

Tu estas acordado.

Se tropeço, permaneces firme.

E se morro, Tu és minha vida!"



Paramahansa Yogananda - 




PARAMAHANSA YOGANANDA - Iogue, escritor, educador e palestrante místico hindu, fundador da Organização Selph-Realization Fellowship-SRF - 1893-1952



IMORTALIDADE DA ALMA 
Nosso ser real, a alma é imortal. Podemos ficar por algum tempo adormecidos nesse estado chamado morte, porém nunca seremos destruídos. Nós existimos e essa existência é eterna. A onda alcança a praia, depois volta ao mar, mas não se perde. Ela se torna uma com o oceano, ou retorna, na forma de uma outra onda. Este corpo veio e desaparecerá, mas a essência da alma que traz dentro dele jamais deixará de existir. Nada poderá extinguir essa consciência eterna. ♥O corpo é apenas uma roupagem. Quantas vezes você trocou de roupas nesta vida? E nem por isso você diria que você mudou. Analogamente quando você abandona essa roupa corporal, por ocasião da morte, você mesmo não muda. É exatamente o mesmo: uma alma imortal, um filho de Deus. Se o homem fosse apenas um corpo, sua desintegração física seria para ele o término da sua identidade. Mas se, no decurso de milênios, os profetas falaram a verdade, o homem é essencialmente uma alma, incorpórea e onipresente. A morte não é a destruição da existência, a derradeira fuga da vida; nem é a porta para a imortalidade. Quem perdeu o seu Eu nas alegrias terrenas não o recapturará entre os delicados encantos do mundo astral. Ali, simplesmente acumula percepções mais refinadas e reações mais sensíveis ao belo e ao bem, que são uma só coisa. É na bigorna da terra grosseira que o homem deve forjar o imperecível ouro da identidade espiritual. Exibindo em sua mão o tesouro arduamente ganho, único presente aceitável para a Morte voraz, o ser humano conquista a libertação definitiva dos ciclos de reencarnação física. Paramahansa Yogananda, em Autobiografia de um Iogue. Reencarnação é o progresso de uma alma ao longo de muitas vidas no plano terreno, à semelhança das muitas séries em uma escola, antes de “diplomar-se” na perfeição imortal da união com Deus. Almas que vivem em estado imperfeito (inconscientes de sua divina identidade com o Espírito) não entram, por ocasião da morte do corpo físico, automaticamente em estado de realização divina. Somos feitos à imagem de Deus, mas pela identificação com o corpo físico, dele assumimos imperfeições e limitações. Enquanto a imperfeita consciência humana de mortalidade não for removida, não poderemos voltar a ser deuses. Fonte: Paramahansa Yogananda, em A Eterna Busca do Homem.O bom comportamento de uma pessoa na terra a conduz a uma das esferas mais elevadas de luz, paz e alegria. Ações más a impelem para uma esfera inferior, escura, onde suas experiências podem ser equiparadas a pesadelos infernais. Cada um permanece no mundo astral pelo tempo predeterminado pelo carma, e depois volta a renascer na terra, em uma forma física. Fonte: Paramahansa Yogananda, em A Eterna Busca do Homem. ♥Deus os enviou para mim, e nunca lhes falharei... Ainda que já não esteja, minha ajuda sempre chegará aos devotos de todo o mundo, se se mantêm sintonizados comigo. Nunca pensem nem por um momento que quando eu já não esteja presente fisicamente, não estarei com vocês. Eu seguirei tão profundamente preocupado por seu bem-estar espiritual quando eu já não esteja mais neste corpo como o estou agora. Sempre estarei cuidando de cada um de vocês, e quando um verdadeiro devoto pensar em mim no profundo silêncio de sua alma, saberá que estou perto.Quero navegar meu barco muitas vezes pelo golfo do além-túmulo, e retornar de meu Lar no Céu às praias da Terra. Quero encher o meu barco com aqueles que esperam, os sedentos que foram esquecidos, e conduzi-los ao opalino reservatório de alegria iridescente onde meu Pai distribui a Sua paz liquefeita que sacia a sede de todos os desejos.Oh, eu virei várias vezes! Transpondo um milhão de penhascos de sofrimento com pés sangrando, eu virei – se preciso for, um trilhão de vezes – enquanto souber que um irmão extraviado ficou para trás. Eu te quero, ó Senhor, para que eu Te possa dar a todos. Quero a salvação, para que a possa dar a todos. Liberta-me, então, ó Deus, da escravidão do corpo, para que eu possa mostrar aos outros como eles podem se libertar. Quero Tua eterna bem-aventurança, apenas para compartilhá-la com os demais; que eu possa mostrar a todos os meus irmãos o caminho para a felicidade, para todo os sempre em Ti. Fonte: (Revista SRF Memorial).




PÉROLAS: 
Bons hábitos são os seus melhores amigos; preserve-lhes a força com estímulos de boas ações. Maus hábitos são seus piores inimigos; contra sua vontade, eles o obrigam a fazer coisas que o machucam mais e mais. Eles são prejudiciais à sua felicidade física, social, mental, moral e espiritual. Deixe de nutrir os maus hábitos, recusando-se a dar-lhes qualquer tipo de alimento adicional de más ações. 


"Levantados os véus de luz e sombra,Evaporada toda a bruma de tristeza,Singrado para longe todo o amanhecer de alegria transitória,Desvanecida a turva miragem dos sentidos.
Amor, ódio, saúde, doença, vida, morte:Extinguiram-se estas sombras falsas na tela da dualidade.
A tempestade de maya serenouCom a varinha mágica da intuição profunda.
Presente, passado, futuro, já não existem para mim,Somente o Eu sempiterno, onifluente, Eu, em toda parte.
Planetas, estrelas, poeira de constelações, terra,Erupções vulcânicas de cataclismos do juízo final,A fornalha modeladora da criação,Geleiras de silenciosos raios X, dilúvios de elétrons ardentes,Pensamentos de todos os homens, pretéritos, presentes, Futuros,Toda folhinha de grama, eu mesmo, a humanidade,Cada partícula da poeira universal,Raiva, ambição, bem, mal, salvação, luxúria,Tudo assimilei, tudo transmutei No vasto oceano de sangue de meu próprio Ser indiviso.
Júbilo em brasa, freqüentemente abanado pela meditação,Cegando meus olhos marejados,Explodiu em labaredas imortais de bem-aventurança,Consumiu minhas lágrimas, meus limites, meu todo.
Tu és Eu, Eu sou Tu,O Conhecer, o Conhecedor, o Conhecido, unificados!
Palpitação tranqüila, ininterrupta, paz sempre nova,Eternamente viva.
Deleite transcendente a todas as expectativas da imaginação,Beatitude do samadhi!
Nem estado inconsciente,Nem clorofórmio mental sem regresso voluntário,Samadhi amplia meu reino conscientePara além dos limites de minha moldura mortalAté a mais longínqua fronteira da eternidade,Onde Eu, o Mar Cósmico,Observo o pequeno ego flutuando em Mim.
Ouvem-se, dos átomos, murmúrios móveis;A terra escura, montanhas, vales são líquidos em fusão!
Mares fluidos convertem-se em vapores de nebulosas!
Om sopra sobre os vapores, descortinando prodígios.
Mais além,Oceanos desdobram-se revelados, elétrons cintilantes,Até que ao último som do tambor cósmico,Transfundem-se as luzes mais densas em raios eternosDe bem-aventurança que em tudo se infiltra.
Da alegria eu vim, para a alegria eu vivo, na sagrada alegria,Dissolvo-me.
Oceano da mente; bebo todas as ondas da criação. 
Os quatro véus do sólido, líquido, gasoso, e luminoso,Levantados.
Eu, em tudo, penetro no Grande Eu.
Extintas para sempre as vacilantes, tremeluzentes sombras,Das lembranças mortais:Imaculado é meu céu mental – abaixo, à frente e bem acima;Eternidade e Eu, um só raio unido.
Pequenina bolha de riso, eu,Converti-me no próprio Mar da Alegria."





"Quando eu sorrio
Em mim Tu sorris.
Quando eu choro
Em mim está o Teu pranto.
Quando eu acordo
É meu Teu bom dia.
Quando eu ando
Caminhas comigo.
Tu sorris e chora
Despertas e andas
Tal qual eu:
Minha imagem és Tu.
Mas...se eu sonho
Tu estas acordado.
Se tropeço, permaneces firme.
E se morro, Tu és minha vida!"


Paramahansa Yogananda - 



PARAMAHANSA YOGANANDA - Iogue, escritor, educador e palestrante místico hindu, fundador da Organização Selph-Realization Fellowship-SRF - 1893-1952


IMORTALIDADE DA ALMA Nosso ser real, a alma é imortal. Podemos ficar por algum tempo adormecidos nesse estado chamado morte, porém nunca seremos destruídos. Nós existimos e essa existência é eterna. A onda alcança a praia, depois volta ao mar, mas não se perde. Ela se torna uma com o oceano, ou retorna, na forma de uma outra onda. Este corpo veio e desaparecerá, mas a essência da alma que traz dentro dele jamais deixará de existir. Nada poderá extinguir essa consciência eterna. ♥O corpo é apenas uma roupagem. Quantas vezes você trocou de roupas nesta vida? E nem por isso você diria que você mudou. Analogamente quando você abandona essa roupa corporal, por ocasião da morte, você mesmo não muda. É exatamente o mesmo: uma alma imortal, um filho de Deus. Se o homem fosse apenas um corpo, sua desintegração física seria para ele o término da sua identidade. Mas se, no decurso de milênios, os profetas falaram a verdade, o homem é essencialmente uma alma, incorpórea e onipresente. A morte não é a destruição da existência, a derradeira fuga da vida; nem é a porta para a imortalidade. Quem perdeu o seu Eu nas alegrias terrenas não o recapturará entre os delicados encantos do mundo astral. Ali, simplesmente acumula percepções mais refinadas e reações mais sensíveis ao belo e ao bem, que são uma só coisa. É na bigorna da terra grosseira que o homem deve forjar o imperecível ouro da identidade espiritual. Exibindo em sua mão o tesouro arduamente ganho, único presente aceitável para a Morte voraz, o ser humano conquista a libertação definitiva dos ciclos de reencarnação física. Paramahansa Yogananda, em Autobiografia de um Iogue. Reencarnação é o progresso de uma alma ao longo de muitas vidas no plano terreno, à semelhança das muitas séries em uma escola, antes de “diplomar-se” na perfeição imortal da união com Deus. Almas que vivem em estado imperfeito (inconscientes de sua divina identidade com o Espírito) não entram, por ocasião da morte do corpo físico, automaticamente em estado de realização divina. Somos feitos à imagem de Deus, mas pela identificação com o corpo físico, dele assumimos imperfeições e limitações. Enquanto a imperfeita consciência humana de mortalidade não for removida, não poderemos voltar a ser deuses. Fonte: Paramahansa Yogananda, em A Eterna Busca do Homem.O bom comportamento de uma pessoa na terra a conduz a uma das esferas mais elevadas de luz, paz e alegria. Ações más a impelem para uma esfera inferior, escura, onde suas experiências podem ser equiparadas a pesadelos infernais. Cada um permanece no mundo astral pelo tempo predeterminado pelo carma, e depois volta a renascer na terra, em uma forma física. Fonte: Paramahansa Yogananda, em A Eterna Busca do Homem. ♥Deus os enviou para mim, e nunca lhes falharei... Ainda que já não esteja, minha ajuda sempre chegará aos devotos de todo o mundo, se se mantêm sintonizados comigo. Nunca pensem nem por um momento que quando eu já não esteja presente fisicamente, não estarei com vocês. Eu seguirei tão profundamente preocupado por seu bem-estar espiritual quando eu já não esteja mais neste corpo como o estou agora. Sempre estarei cuidando de cada um de vocês, e quando um verdadeiro devoto pensar em mim no profundo silêncio de sua alma, saberá que estou perto.Quero navegar meu barco muitas vezes pelo golfo do além-túmulo, e retornar de meu Lar no Céu às praias da Terra. Quero encher o meu barco com aqueles que esperam, os sedentos que foram esquecidos, e conduzi-los ao opalino reservatório de alegria iridescente onde meu Pai distribui a Sua paz liquefeita que sacia a sede de todos os desejos.Oh, eu virei várias vezes! Transpondo um milhão de penhascos de sofrimento com pés sangrando, eu virei – se preciso for, um trilhão de vezes – enquanto souber que um irmão extraviado ficou para trás. Eu te quero, ó Senhor, para que eu Te possa dar a todos. Quero a salvação, para que a possa dar a todos. Liberta-me, então, ó Deus, da escravidão do corpo, para que eu possa mostrar aos outros como eles podem se libertar. Quero Tua eterna bem-aventurança, apenas para compartilhá-la com os demais; que eu possa mostrar a todos os meus irmãos o caminho para a felicidade, para todo os sempre em Ti. Fonte: (Revista SRF Memorial).

PÉROLAS: Bons hábitos são os seus melhores amigos; preserve-lhes a força com estímulos de boas ações. Maus hábitos são seus piores inimigos; contra sua vontade, eles o obrigam a fazer coisas que o machucam mais e mais. Eles são prejudiciais à sua felicidade física, social, mental, moral e espiritual. Deixe de nutrir os maus hábitos, recusando-se a dar-lhes qualquer tipo de alimento adicional de más ações. 


"Por que você não vê Cristo nem ouve a voz dele? Porque seus olhos e ouvidos físicos não estão em sintonia com ele. Você não conseguiria ver as imagens nem ouvir as músicas que passam pelo éter do mundo material sem a ajuda das telas de televisão e dos aparelhos de rádio. A inquietude espiritual impede que se percebam as vibrações mais sutis, que são forças altamente delicadas. É por isso que você não verá a Cristo nem aos grandes mestres enquanto não aprender a entrar em sintonia com eles.

Cristo está bem aqui e pode ser visto se você se voltar para o ponto entre as sobrancelhas: o centro da Consciência Crística; a sede do olho único ou espiritual. Se quer ver Cristo, concentre-se neste ponto de visão espiritual; olhe através do olho espiritual. Se quer receber a inteligência universal de Cristo, você precisa sentir a consciência dele no olho espiritual."

Paramahansa Yogananda