EDWARD BACH



EDWARD BACH - Médico bacteriologista e patologista inglês, criador dos Florais de Bach - 1866-1936. 
A MISSÃO DIVINA: 


Uma missão divina não significa um sacrifício, nem uma fuga do mundo, nem uma rejeição às alegrias da beleza e da natureza; ao contrário, significa um grande e pleno aproveitamento de todas as coisas. Significa fazer o trabalho que amamos com toda a alma e com todo o coração, seja ele cuidar da casa, trabalhar na fazenda, pintar, representar, ou servir ao nosso semelhante, dentro e fora de casa. E esse trabalho, seja qual for, se o amamos acima de qualquer outra coisa, é o supremo mandamento de nossa alma, a tarefa que temos de cumprir neste mundo, a única em que podemos nos sentir sinceros, interpretando na matéria a mensagem do nosso verdadeiro Eu. Podemos, dessa forma, julgar pela nossa saúde e felicidade se estamos interpretando bem essa mensagem.Fonte: http://speglich.blogspot.com.br
PENSAMENTOS SELECIONADOS: 
A doença é única e puramente corretiva; nem vingativa, nem cruel. É o método adotado pelas nossas próprias almas para mostrar-nos os nossos erros, impedir-nos de cometer erros maiores, obstar a que façamos mais mal e trazer-nos de volta ao caminho da Verdade e da Luz, do qual nunca deveríamos ter saído.
A função da moléstia física é a de um corretivo final. Para dizê-lo de maneira mais simples, é uma luz vermelha de advertência, a indicar muito claramente que alguma coisa precisa ser feita logo, pois, a não ser assim, disso se seguirá o malogro total, mais cedo ou mais tarde.
Cada um de nós tem o poder da cura, porque todos nós temos no coração amor por alguma coisa, pelo nosso próximo, por animais, pela natureza, pela beleza e cada um de nós deseja proteger e ajudar a melhorar o que amamos. Cada um de nós também sente simpatia por aqueles que estão em desgraça e isso é natural, pois todos nós já estivemos em desgraça vez ou outra em nossas vidas. Desse modo, não apenas podemos nos curar, mas também temos o grande privilégio de sermos capazes de ajudar os outros a se curarem e as únicas qualificações necessárias são o amor e a compaixão.
Devemos praticar firmemente a paz, imaginando que nossas mentes são como lagos que sempre tem que manter mansos, sem ondas, sem sequer rugas que pertubem sua tranqüilidade.
Não estamos todos aprendendo a mesma lição ao mesmo tempo. Um está dominando o orgulho; outro, o medo; outro, o ódio e assim por diante, mas o fator essencial para a saúde é que aprendamos a lição que nos foi destinada.
Não existe cura autêntica, a menos que haja uma mudança de perspectiva, serenidade mental e felicidade interior.
Não existem doenças, existem doentes.
Nossa vitória sobre a enfermidade dependerá principalmente do seguinte: primeiro, tem que ter consciência da Divindade que existe dentro de nós e, por tanto, de nosso poder para superar as adversidades. Segundo têm que saber que a causa básica da enfermidade obedece a falta de harmonia entre a pessoa e a alma. Terceiro, tem que ter a vontade e a capacidade de descobrir o defeito que causa semelhante conflito. E em quarto lugar, tem que suprimir esse defeito desenvolvendo a virtude contrária.
O Desenvolvimento do Amor nos leva a darmos conta da Unidade, da verdade de que todos e cada um de nós pertencem a Uma Grande Criação.
Procure e encontrarás. Você busca com seus sentimentos, sentidos e com sua mente, mas a resposta vem da sua alma interior.
Fonte: Pensamentos extraídos dos livro: A Terapia Floral - Escritos Selecionados do Dr. Edward Bach - Editora Ground.


AS FALTAS DOS HOMENS DE DEUS:

Não existe ninguém sem faltas, nem mesmo os homens de Deus. São homens de Deus, não por não terem faltas, mas por as reconhecerem, não as ocultarem, lutarem contra elas e estarem sempre prontos a corrigir-se.


a viagem pelo mundo das flores do Dr. Edward Bach.


A Vida não espera de nós sacrifícios inatingíveis, ela apenas pede que façamos nossa jornada com alegria em nosso Coração e para ser uma benção para todos aqueles que nos rodeiam. Se nós fazemos o mundo melhor com a nossa visita, então nós cumprimos a nossa missão."

Dr.Bach

O video abaixo sintetiza a falha da virtude  emocional e indica o floral que resgata,corrige, a virtude emocional sobrepondo então a energia  positiva onde havia a negativa.

















Os Florais de Bach ou Remédios Florais de Bach (RFB) consistem em um tipo de medicação alternativa usado intensamente nos dias de hoje, isoladamente ou em associação com a medicação alopática.
São considerados como instrumentos de cura suaves, sutis, profundos, vibracionais, com uso reconhecido em mais de 50 países e aprovados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde 1956 (Mantle, 1997). Os florais, como um instrumento de trabalho terapêutico, devem ser entendidos também como expressão de uma forma de pensar, sentir e atuar na vida em geral.
Embora seja bastante claro que o sistema terapêutico dos Florais de Bach é distinto daquele utilizado pela homeopatia, o Dr. Bach foi bastante influenciado pelas idéias de Hahnemann e isto é refletido na filosofia e na aplicação dos RFB (Van Haselen, 1999). Bach, trabalhando inicialmente como médico alopata, depois homeopata especializado na pesquisa em bacteriologia no Hospital Homeopático de Londres, concluiu que a origem de qualquer doença deve ser investigada no âmbito das manifestações emocionais prévias. Estes desvios emocionais são provavelmente o alvo de atuação dos florais (Leary, 1999).
Como os remédios homeopáticos, os RFB sofrem intenso processo de diluição. Eles são usualmente produzidos por gotejamento de essência de flores frescas em água, formando uma solução a qual é subseqüentemente adicionado o "brandy", originando a "tintura mãe". O "brandy" tem função preservativa do floral, para ser usado posteriormente (Chancellor, 2000). Não foram encontrados ainda na literatura quaisquer indícios de que os RFB possuem substâncias químicas provenientes das plantas que os originam, que explicassem seus efeitos terapêuticos. Os proponentes para este tratamento afirmam que seu modo de ação não depende de mecanismos moleculares comparáveis a terapêutica convencional. Assim como os remédios homeopáticos, eles exercem sua ação através da "energia" que é transmitida das flores para o remédio (Armstrong; Ernst, 2002). Como essa "energia" é de difícil quantificação, muitos críticos ao tratamento argumentam que os Florais de Bach (e todos os outros atualmente utilizados terapeuticamente) são na realidade simplesmente placebos (Fricke, 1999; Armstrong; Ernst, 2001). Além disso, trabalhos utilizando a metodologia científica com o intuito de estudar mais profundamente a eficácia dos RFB são bastante escassos. Diante do exposto, o objetivo do presente trabalho foi detectar os efeitos centrais dos RFB, em camundongos, através de modelos farmacológicos específicos, amplamente utilizados na triagem de substâncias psicotrópicas farmacologicamente ativas (Almeida et al., 1999; 2001; Sousa et al., 2004).
Postar um comentário