Doce é Sentir

         O que temer? Nada.

A quem temer? Ninguém.

Por que?

 Porque aqueles que se unem a Deus 

obtém três grandes previlégios:
 onipotência sem poder; 
embriaguez, sem vinho 
e vida sem morte.

São Francisco de Assis
São Francisco de Assis - Arte de Jill West:
São Francisco de Assis - Arte de Jill West:



A LUA E O SOL

Disse um dia a lua: "Por amor ao sol, inundarei o mundo de luz".
Responderam-lhe: "Se és sincera, haverás de evoluir noite e dia,
Até que estejas em conjunção com ele; então, perder-te-ás nele e te farás invisível.
Te consumirás no ardor de seus raios e te humilharás diante de sua elevação;
Logo, saindo de seus raios, tua beleza maravilhará as criaturas; com o olhar fixo em teu rosto, indicar-te-ão com o dedo".
Qual é, então, esse mistério? A lua, após perder-se no sol, reaparece fora de seus raios;
Errante aceita a aniquilação, despreocupada de si mesma, se oferece à vista do globo terrestre, que sempre se apega a seu próprio Eu.
Tem se consumido para o sol, tem encontrado o amado após a separação.

A lua cheia da décima quarta noite, apesar de todo o seu esplendor, não se compara ao menor dos crentes.
A lua cheia ostenta a sua beleza, e como é vaidosa, ninguém a busca.
Mas quando, na fase crescente, a lua está bem fina, todos põem-se a buscá-la, com um sorriso nos lábios.
Permanecer aprisionado ao próprio Eu é perpetuar a própria desgraça.
 
(Farid ud-Din Attar, O Livro Divino)





De um lado cantava o sol,
do outro, suspirava a lua.
No meio, girava a terra a
face de ouro, ou de prata!
Depende de quem a iluminava!
O céu nos deste as estrelas
 claras e diamantadas
na via lactea brilhavam 
simbolo do compromisso 
de Nosso irmão sol
e Nossa irmã lua...
Nadja Feitosa







   TODAS AS COISAS DA CRIAÇÃO
SÃO FILHOS DO PAI E IRMÃOS
DO HOMEM...DEUS QUER QUE
AJUDEMOS AOS ANIMAIS SE   

                                                     

NECESSITAM DE AJUDA.TODA

CRIATURA EM DESGRAÇA TEM
              O MESMO DIREITO A SER PROTEGIDA.
SÃO FRANCISCO DE ASSIS


  • O CÂNTICO DAS CRIATURAS (tradução)
  • Altíssimo, onipotente e bom Senhor,
  • para ti sejam os louvores, a glória e a honra, e mais todas as bênçãos,
  • pois essas coisas todas, Altíssimo, somente a ti é que convêm
  • quando homem algum é digno sequer de mencionar-te.
  • Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas,
  • especialmente o irmão Sol,
  • que nos dá o dia, sendo por ele que tu nos iluminas.
  • E o Sol é belo e radiante.
  • Com grande esplendor, ele é de ti, Altíssimo, a própria imagem.
  • Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã Lua e as estrelas:
  • no céu tu as soubeste fazer resplandecentes, preciosas e belas.
  • Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão Vento
  • e pelo ar que movimenta, tornando o dia nebuloso ou sereno,
  • pouco importa, pois sempre é por ele que nos dás o sustento.
  • Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã Água,
  • que, embora humilde, é sempre tão útil e muito preciosa.
  • Louvado sejas, meu Senhor, pelo irmão Fogo,
  • por meio do qual podemos iluminar e aquecer as noites:
  • como ele é belo e alegre e robusto e forte!
  • Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã Terra, 
  • que também é mãe nossa, pois nos sustenta e governa,
  • e produz frutas diversas e coloridas flores e ervas.
  • Louvado sejas, meu Senhor, por aqueles que perdoam por amor a ti
  • e suportam doenças e aflições.
  • Benditos aqueles que souberem enfrentar pacificamente os problemas,
  • porque tu, Altíssimo, saberás recompensá-los.
  • E louvado sejas, meu Senhor, até por nossa Morte, 
  • que também é irmã nossa,
  • pois dela ninguém que viva pode escapar.
  • E ai daqueles que morrem em pecado mortal!
  • Mas benditos aqueles que, ao morrerem, tenham atendido as tuas vontades,
  • porque, quando vier a segunda morte, essa não lhes fará mal algum.
  • Louvemos, pois, o Senhor e lhe agradeçamos por tudo,
  • servindo-lhe sempre com grande humildade.
  • CANTICO DELLE CREATURE
Altissimu, onnipotente bon Signore,Tue so' le laude, la gloria e l'honore et onne benedictione.Ad Te solo, Altissimo, se konfano,et nullu homo ène dignu te mentovare.
Laudato sie, mi' Signore cum tucte le Tue creature,spetialmente messor lo frate Sole,lo qual è iorno, et allumini noi per lui.Et ellu è bellu e radiante cum grande splendore:de Te, Altissimo, porta significatione.
Laudato si', mi Signore, per sora Luna e le stelle:in celu l'ài formate clarite et pretiose et belle.
Laudato si', mi' Signore, per frate Ventoet per aere et nubilo et sereno et onne tempo,per lo quale, a le Tue creature dài sustentamento.
Laudato si', mi Signore, per sor'Acqua.la quale è multo utile et humile et pretiosa et casta.
Laudato si', mi Signore, per frate Focu,per lo quale ennallumini la nocte:ed ello è bello et iocundo et robustoso et forte.
Laudato si', mi Signore, per sora nostra matre Terra,la quale ne sustenta et governa,et produce diversi fructi con coloriti fior et herba.
Laudato si', mi Signore, per quelli che perdonano per lo Tuo amoreet sostengono infrmitate et tribulatione.
Beati quelli ke 'l sosterranno in pace,ka da Te, Altissimo, sirano incoronati.
Laudato s' mi Signore, per sora nostra Morte corporale,da la quale nullu homo vivente pò skappare:guai a quelli ke morrano ne le peccata mortali;beati quelli ke trovarà ne le Tue sanctissime voluntati,ka la morte secunda no 'l farrà male.
Laudate et benedicete mi Signore et rengratiatee serviateli cum grande humilitate.



Irmão sol com irmã luz
Irmão sol com irmã luz
Trazendo o dia pela mão
Irmão céu de intenso azul
A invadir o coração
Aleluia
Refrão:
Irmãos, minhas irmãs
Vamos cantar nesta manhã
Pois renasceu mais uma vez
A criação nas mãos de Deus.
Irmãos, minhas irmãs
Vamos cantar aleluia
Aleluia, aleluia
Irmã flor que mal se abriu
Fala do amor que não tem fim
Água irmã que nos refaz
E sai do chão cantando assim
Aleluia....

Refrão;
Passarinhos meus irmãos
Com mil canções a ir e vir
Homens todos meus irmãos
Que vossa voz se faça ouvir
Aleluia
Padre Zezinho










Doce é sentir em meu coração  humildemente  vai nascendo amor   

Doce é saber  não estou sozinho  sou uma parte de uma imensa  


vida que generosa reluz em torna a mim  imenso dom do teu  

  
amor sem fim 

O céu nos deste e as estrelas claras  nosso irmão sol  nossa  
     
irmã lua  nossa mãe Terra , com frutos campos flores o fogo e  
   
o vento  o ar e a água pura fonte de vida de tua criatura  

imenso dom do teu amor sem fim  imenso 



Doce é sentir
Em meu coração
Humildemente
Vai nascendo amor

Doce é saber
Não estou sozinho
Sou uma parte
De uma imensa vida

Que generosa
Reluz em torno a mim
Imenso dom
Do teu amor sem fim

O céu nos deste
E as estrelas claras
Nosso irmão sol
Nossa irmã lua

Nossa mãe terra
Com frutos, campos, flores
O fogo e o vento
O ar, a água pura

Fonte de vida
De tua criatura

Que generosa
Reluz em torno a mim
Imenso dom
Do teu amor sem fim

Prisioneiro do amor
Nicodemos costa

Ah, como é bom
Sentir a doce paz
E o amor que suave
Me leva a sorrir

É, você chegou
Qual ladrão me fitou
E roubou para si
O meu coração
E agora sem forças
Eu sou prisioneiro
Do mais belo amor
Do doce jesus
Do meu bem da cruz, jesus
Bem da cruz

Ziza Fernandes


Cada lágrima que choras é uma canção.
Cada canção que amas é uma verdade.
Cada verdade que vives é uma prece.
Que me proíbo de esquecer.




Deus é Deus de amor
Deus é Deus de amor
*
Deus é Deus de amor que transforma a semente em árvore, em fruto que alimenta a vida, e, por vezes, o luto!...
Deus é Deus de amor que muda o ninho dos pensamentos em ninho de luz; que muda as idéias em ação que nos conduz, ou deixa que nós caiamos, para compreender Jesus.
Deus é Deus de amor que nos deu os pés, para que haja caminhada, nos ofertou as mãos, para dar trabalho à enxada; mas, se ferirmos o companheiro, erramos a estrada.
Deus é deus de amor que nos deu a cabeça para pensar, que nos premiou com o coração para amar; quem aceita o ódio, não pode cantar.
Deus é Deus de Amor que tudo fez, sem usar o alarde, que tudo faz, mesmo que achemos tarde; que nunca diz: Sois covardes.
Deus é Deus de amor que nos deu o verbo e nos ensina a falar, que nos deu a boca e nos ensina a cantar: que nos deu o coração e nos ensina a amar.
São Francisco de Assis

O Brilho da Lua Nova

Guardei as quatro Luas
Com elas fiz caminhos de voltar
Guiado por lembranças a queimar
Caminhos mal cruzados
Trilhados pela vontade de chegar
A noite sabe que te hei-de encontrar
Sopram ventos de bonança
E brilha a Lua Nova que eu invento p´ra te dar
Só brilha a Lua Nova que eu invento p´ra te dar
Prendi as tempestades
Cortei o nevoeiro p´ra te ver
Plantei a cor do Sol p´ra te aquecer
Gritei às divindades
Que trago a vida toda a renascer
E a sede de ternuras por beber
Faço a festa do regresso
E brilha a Lua Nova que inventei p´ra te oferecer
Só brilha a Lua nova que inventei p´ra te oferecer
Arde a Saudade...
Arde a Saudade...

Quinta do Bill


ECLIPSE

Uma manhã o sol
Não apareceu.
Seus raios de luz
Foram ofuscados
Por uma neblina
E o tempo ficou sem graça.
Era Primavera
E as flores
Perderam o brilho
E as cores.
O dia ficou triste
Os pássaros emudeceram
As borboletas desapareceram
E os olhos pararam
De brilhar.
Eis que então
Uma força maior
Da Deusa da noite
Resolveu intervir.
E a Lua prateada
Senhora das madrugadas
Faria o Sol
Novamente sorrir.
E num momento mágico
De amor desigual,
Se uniram dois astros
No eclipse total.
E a energia da Lua
Tomou conta do Sol,
Renovando as forças
Neste momento maior
Foi imensa a magia
Que fez o sol
Novamente brilhar,
Para clarear novos dias
E à Lua
Sempre amar...
 Rubens Alves Vieira    

Quando o SOL e a LUA se encontraram pela primeira vez, se apaixonaram perdidamente
e a partir daí começaram a viver um grande amor. 

Acontece que o mundo ainda não existia e no dia que Deus resolveu criá-lo, deu-lhes então o toque final... o brilho !

Ficou decidido também que o SOL iluminaria o dia e que a LUA iluminaria a noite, sendo assim,
seriam obrigados a viverem separados.

Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam.



A LUA E O SOL

Disse um dia a lua: "Por amor ao sol, inundarei o mundo de luz".
Responderam-lhe: "Se és sincera, haverás de evoluir noite e dia,
Até que estejas em conjunção com ele; então, perder-te-ás nele e te farás invisível.
Te consumirás no ardor de seus raios e te humilharás diante de sua elevação;
Logo, saindo de seus raios, tua beleza maravilhará as criaturas; com o olhar fixo em teu rosto, indicar-te-ão com o dedo".
Qual é, então, esse mistério? A lua, após perder-se no sol, reaparece fora de seus raios;
Errante aceita a aniquilação, despreocupada de si mesma, se oferece à vista do globo terrestre, que sempre se apega a seu próprio Eu.
Tem se consumido para o sol, tem encontrado o amado após a separação.
A lua cheia da décima quarta noite, apesar de todo o seu esplendor, não se compara ao menor dos crentes.
A lua cheia ostenta a sua beleza, e como é vaidosa, ninguém a busca.
Mas quando, na fase crescente, a lua está bem fina, todos põem-se a buscá-la, com um sorriso nos lábios.
Permanecer aprisionado ao próprio Eu é perpetuar a própria desgraça.
 
Farid ud-Din Attar 
Postar um comentário