Rumi*A musica do Sama












Com a maré da manhã surgiu no céu uma lua.
De lá desceu e fitou-me.
Como o falcão que arrebata o pássaro,
Essa lua agarrou-me e cruzou o céu.
Quando olhei para mim, já não me vi:
Naquela lua meu corpo se tornara,
Por graça, sutil como a alma.
Viajei então em estado de alma
E nada mais vi senão a lua.
Até que o segredo do saber divino
Me foi por inteiro revelado:
As nove esferas celestes fundiram-se na lua
E o vaso do meu ser dissolveu-se inteiro no mar.
Quando o mar quebrou-se em ondas,
A sabedoria divina lançou sua voz ao longe.
Assim tudo ocorreu, assim tudo foi feito.
Logo o mar inundou-se de espumas,
E cada gota de espuma
Tomou forma e corpo.
Ao receber o chamado do mar,
Cada corpo de espuma se desfez
E tornou-se espírito no oceano.
Sem a majestade de Shams de Tabriz
Não se poderia contemplar a lua.
Nem tornar-se mar Jalaluddin RumiRumi

"Sou as partículas de pó à luz do solSou o circulo polar
Ao pó digo: “Não te movas”
e ao sol: “Segue girando.”


Sou a névoa da manhãe a brisa da tarde.Sou o vento na copa das árvorese as ondas contra o penhasco.Sou o mastro, o leme, o timoneiro e a quilhae o recife de coral em que naufragam as embarcações.Sou a árvore em cujo galho tagarela o papagaio.Sou o silêncio e pensamento e também todas as vozes.Sou o ar pleno que faz surgir a música da flautaa centelha de pedra, o brilho do metal.Sou a vela acesa e a mariposa girando louca ao seu redor.Sou a rosa e o rouxinol perdido em sua fragrância.Sou todas as ordens de seresa galáxia girante,a inteligência imutável,o ímpeto e a deserção.Sou o que é e o que não é.Tu, que conheces Jalal ud-DinTu, o Um em tudoDiz quem souDiz eu souTu." Jalaluddin Rumi





Há uma libertação que vemQuando você deixa de comer restos gordurososA passa a comer alimentos mais nobres e belos.Um tipo de comida lhe traz flatulência e diarreia,Um peso no estômago. O outro lhe mantém leveEnquanto você cavalga o oceano. Jejue e observe o que surge.Uma pessoa materialmente cheia não está alertaPara pratos que degradam.Não coma sempre o que é oferecido.Seja altivo. Recuse o primeiro prato.Espere e o anfitrião mandará comida melhor. Erga sua cabeça como a montanha mais alta no escuroQue o amanhecer torna vermelhae então dourada.

________________________


Quando está frio e chovendo,Você é ainda mais lindo.

E a neve traz-me ainda mais pertoDos seus lábiosO segredo interior,aquilo que ainda nem nasceu,você é aquele frescore eu estou com você agoraNão posso explicar as idas ou as vindas.Você entra de repente,E estou novamente em lugar nenhumDentro da majestade
.__________________________
Há um beijo que desejamos toda a nossa vida,O toque do espírito no corpo.A água do mar implora á pérolapara que ela rompa sua concha.E o lírio,quão apaixonadamente ele precisade algum querido companheiro selvagem.À noite, abro a janelae peço para a luavir e apertar seu rosto contra o meu.Respirar dentro de mim.Feche a porta da linguageme abra a janela do amor.A lua não usará a porta,somente a janela.
_________________________________________
Você pode encontrar um outro mercado como este?Onde com sua única rosa você pode comprar centenas de jardins?Onde com uma semente pode conseguir toda a selva?Em troca de uma respiração fraca,um sopro divino?Você tem tido medo de ser absorvido pelo chãoe tragado pelo ar.Agora, seu pingo se rende cai no oceano de onde ele veio.Ele já não tem mais a forma que tinha,mas ainda é água.A essência é a mesma.Essa rendição não é um arrependimento.É honrar profundamente a si mesmo.Quando o oceano vier a você como um amante,case de imediato, rapidamente,pelo amor de Deus. Não adie!A existência não tem presente melhor pra dar.Não há busca suficiente que encontre isso.Um falcão perfeito, sem motivo nenhum pousou no seu ombroe tornou-se seu.


Jalaluddin Rumi
por Ricardo Melito







Sama III/IV"Viemos girando do Nada, espalhando estrelas como pó. As estrelas puseram-se em círculo e nós ao centro dançamos com elas. Como a pedra do moinho, em torno de Deus gira a roda do céu. SEGURA UM RAIO DESSA RODA E TERÁS A MÃO DECEPADA!! Girando e girando essa roda dissolve todo e qualquer apego. - Não estivesse apaixonada, ela mesma gritaria - BASTA! até quando há de seguir esse giro? Cada átomo gira desnorteado, mendigos circulam entre as mesas, cães rondam um pedaço de carne, o amante gira em torno de seu próprio coração. Envergonhada diante de tanta beleza, giro ao redor de minha vergonha. Vem! Ouve a música do Sama. Vem unir-te ao som dos tambores! aqui celebramos: Somos todos a verdade! Em êxtase estamos. Embriagados, sim, mas de um vinho que não se colhe na videira; O que quer que pensem de nós em nada parecerá ao que somos. Giramos e giramos em êxtase. esta é anoite do Sama Há luz agora - Luz! Luz! Rumi









Postar um comentário