Deus...


Deus... 
Não consintas que eu seja o carrasco que sangra as ovelhas,
nem uma ovelha na mão dos algozes.
Ajude-me a dizer sempre a verdade na presença dos fortes
e jamais dizer mentiras para ganhar os aplausos dos fracos.
Meu Deus... Se me deres a fortuna,não me tires a sensatez.
Se me for dado prosperar,não permita que eu perca a modéstia,
conservando apenas o sentimento da dignidade.
Ajuda-me a apreciar o outro lado das coisas,para não enxergar a traição dos adversários,
nem acusá-los com maior severidade do que a mim mesmo.
Não me deixes ser atingido pela ilusão da glória quando bem sucedido
e nem desesperado quando sentir insucesso.
Lembra-me que a experiência de um fracasso
poderá poderá proporcionar um progresso maior.
Ó Deus!Faze-me sentir que o perdão é o maior índice de força
e que a vingança é a prova da fraqueza.
Se me tirares a fortuna,deixe-me a esperança.
Se faltar a beleza da saúde,conforta-me com a graça da fé.
E quando me ferir a ingratidão,a incompreensão dos meus semelhantes,
cria em minha alma a força de desculpa e perdão.
Ajuda-me na tua maior linguagem:o silêncio que tudo fala.
Ensina-me a responder com ele,sempre que for preciso.
E finalmente,Senhor,se eu te esquecer,na minha imperfeição,
no meu processo evolutivo,te rogo,mesmo assim:
NUNCA TE ESQUEÇAS DE MIM! (Autor desconhecido)

Perdoar verbalmente é questão de palavras, mas aquele que perdoa realmente, precisa mover e remover pesados fardos de outras eras, dentro de si mesmo.
André Luiz
Postar um comentário