Friedrich Nietzsche,

   "O amor deseja, o medo evita. Por causa disso não podemos ser amados e reverenciados pela mesma pessoa, não no mesmo período de tempo, pelo menos. Pois quem reverencia reconhece o poder, isto é, teme-o: seu estado é de medo-respeito. Mas o amor não reconhece nenhum poder, nada que separe, distinga, sobreponha ou submeta. E, como ele não reverencia, pessoas ávidas de reverência resistem aberta ou secretamente a serem amadas."



Friedrich Nietzsche. In: Humano, Demasiado Humano

Friedrich Nietzsche, in “A Gaia Ciência”

Gosto, como os animais, das florestas e dos mares,
De me perder durante um tempo,
Permanecer a sonhar num recanto encantador,
E força-me a regressar de longe ao meu lar,
Atrair-me a mim próprio... de volta para mim.




Depois de estar cansado de procurar
Aprendi a encontrar.
Depois de um vento me ter feito frente
Navego com todos os ventos.
Friedrich Nietzsche, in “A Gaia Ciência”
Não fiques em terreno plano.
Não subas muito alto.
O mais belo olhar sobre o mundo
Está a meia encosta.



E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: "Esta vida, assim como tu a vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes; e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indizivelmente pequeno e de grande em tua vida há de retornar, e tudo na mesma ordem e seqüência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio.


A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!" -



Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasse assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que responderias: "Tu és um deus, e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse; a pergunta, diante de tudo e de cada coisa:



"Quero isto ainda uma vez e ainda inúmeras vezes?"

Pesaria como o mais pesado dos pesos sobre teu agir! Ou então, como terias de ficar de bem contigo mesmo e com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?

Nietzsche




És jovem e desejas filhos e casamento. Mas eu te pergunto : és vencedor de ti próprio, és o soberano dos teus sentidos? Ou fala em ti a necessidade física, o isolamento, a discórdia contigo próprio? — Nietzsche




A coragem mata também a vertigem à beira de abismos! E onde estará o homem senão à beira de abismos? Mesmo olhar, não será olhar abismos? (…) Mas a coragem, a coragem que ataca é o melhor dos matadores, mata a própria morte pois diz: “ISTO é a vida? Pois então, outra vez! — Nietzsche, Assim Falou Zaratustra

A mesma palavra amor significa com efeito duas coisas diferentes para o homem e para a mulher. O que a mulher entende por amor é bastante claro: não é apenas dedicação, é dom total de corpo e alma, sem restrição, sem nenhuma atenção para o que quer que seja. É a ausência de condição que faz de seu amor uma profissão de fé, a única que ela tem. — Nietzsche, A Gaia Ciência
Entre minhas obras ocupa o meu Zaratustra um lugar à parte. Com ele fiz à humanidade o maior presente que até agora lhe foi feito. Esse livro, com uma voz de atravessar milênios, é não apenas o livro mais elevado que existe, autêntico livro do ar das alturas [...] é também o mais profundo, o nascido da mais oculta riqueza da verdade, poço inesgotável onde balde nenhum desce sem que volte repleto de ouro e bondade — Nietzsche, Ecce Homo

( e o poeta cai na armadilha )

Ó maravilha! Voará ainda?
Sobe e as suas asas não se mexem?
Quem é então que o leva e faz subir?
Que fim tem ele, caminho ou rédea, agora?

Como a estrela e a eternidade
Vive nas alturas de que se afasta a vida,
Compassivo, mesmo para com a inveja...
E quem o vê subir sobe também alto.

Ó albatroz! Ó minha ave!
Um desejo eterno me empurra para os cimos
Pensei em ti e chorei.
Chorei mais e mais... Sim, eu amo-te!

Friedrich Nietzsche, In "A Gaia Ciência"

 O solitário
Odeio seguir alguém, como também conduzir.
Obedecer? Não! E governar, nunca!
Quem não se mete medo não consegue metê-lo a
niguém,
Somente aquele que o inspira é capaz de comandar.
Já detesto comandar a mim mesmo!
Gosto, como os animais, das florestas e dos mares,
De me perder durante um tempo,
Permanecer a sonhar num recanto encantador,
E força-me a regressar de longe ao meu lar,
Atrair-me a mim próprio... de volta para mim.

O sofrimento, entretanto, é necessário para a formação do homem; todo homem de boa compleição deve trilhar esse caminho:
"Essas dores podem ser bastante penosas: mas sem dores não é possível tornar-se guia e educador da humanidade; e coitado daquele que quisesse sê-lo e não tivesse essa pura consciência!"
Por fim, o gênio que sobrevive ao sofrimento que lhe cria e lhe acompanha acaba superando as noções de "bom" e "mau", e a moral existirá apenas como um vestígio de uma cultura inferior:
Enfim, quando a tábua de sua alma estiver totalmente coberta de esperiências, ele não desprezará nem odiará a existência e tampouco e amará mas estará acima dela ora com o olhar da alegria, ora com o da tristeza, e tal como a natureza terá uma disposição ora estival, ora outonal.
Quando o seu olhar tiver se tornado forte o bastante para ver o fundo, na escura fonte de seu ser e de seus conhecimentos, talvez também se tornem visíveis para você, no espelho dele, as distantes constelações das culturas vindouras.
Friedrich Nietzsche


Ó amigos! Não esses sons! Mas vamos atacar os sons mais agradáveis ​​e mais alegre!

Alegria, o maravilhoso centelha divina,
Filha de Elysium,
Bêbado com fogo agora entramos,
Heavenly um, o seu santuário sagrado.
Seus poderes mágicos juntar-se novamente
O que forma estritamente fez divisão;
Fraternidade une todos os homens
Onde sua asa suave se espalhou de largura.
O homem que foi tão feliz
Para se tornar o amigo de um amigo,
O homem que ganhou a mulher formosa -
Para a alegria que ele adicionar a sua voz.
O homem que chama, mas uma única alma
Em algum lugar no mundo a sua própria!
E ele nunca que conseguiu isso -
Deixe roubar diante do nosso multidão!
Alegria é bebido por toda criatura
Do peito justo e encantadora da Natureza;
Cada, sendo, bem ou mal
Segue seus passos rosados.
Beijos que ela nos deu, e videiras,
E o amigo bom, julgado em morte;
A serpente, ela dotada de desejo de base
E o querubim está diante de Deus.
Alegremente como seus sóis fazer voar
Através plano dos céus 'esplêndido,
Executar agora, irmãos, seu próprio curso,
Alegre como um herói conquistador
Abraçar agora, milhões!
O beijo é para o mundo inteiro!
Brothers - sobre o firmamento estrelado
Um Pai amado certamente deve habitar.
Você desabar, seus milhões?
Você sente a presença Criadores mundo,?
Procurá-Lo acima do firmamento estrelado,

Para acima das estrelas ele certamente habita

Friedrich Nietzsche


Perdido seja para nós aquele dia em que não se dançou nem uma vez!auxilioemocional.blogspotQue seja falsa entre nós cada verdade perto da qual não tenha havido pelo menos uma gargalhada.''  
Postar um comentário