Cartas de amor


memórias e momentos

"Cartas de amor são escritas não para dar notícias, não para contar nada, mas para que mãos separadas se toquem ao tocarem a mesma folha de papel"

Rubem Alves  

Cartas de  Amor


Quero estar contigo.
Pegar na tua mão, sentir a tua força, o veludo encrespado dos teus dedos, que escondem inumeros segredos e muitas memórias.
Eu sou hoje uma dessas tuas memórias, uma historia, talvez daqui por algum tempo me torne uma lenda, nas trocas de conversas, que fazes com os teus amigos.
Talvez num tempo ainda distante eu me torne uma deusa de entre todas as mulheres que passaram pela tua vida, pela ternura com que toquei a pele da tua alma.
Foram horas de conversas, dias de encantamento, semanas de paixão, meses de amor...
Audaz como um cavaleiro em velhas lendas, não te recordo, escolhi viver contigo nas minhas veias, no meu sangue, no coração que bateu fortemente algures um dia, junto ao teu...
Estas sempre para sempre aqui!
Perto de mim, vejo-te claramente, naquele sorriso rasgado que tanto perturba a minha mente, o cheiro das tuas palavras...
As carícias vaporosas, escondem-se no silêncio das mãos, serrando os meus olhos e lá estas tu...
... de novo, a assombrar os meus sentidos, com o teu olhar líquido e triste, escondendo o que pensas mas não dizes, e não dizes porque não podes, porque o medo cala-te a voz, essa voz forte e segura onde eu me abriguei das minhas guerras e fugas, a mesma voz que me aqueceu nas frias noites de solidão.
Estou contigo...
... todas as minhas palavras são tuas, foram sempre tuas, o que escrevo e o que penso sempre foi para ti, e mesmo não navegando nos meus poemas ou escutando os meus pensamentos, eu sei que a tua alma me sente... sei que sentes quando, em momentos como este eu estou junto de ti...
Com amor!
Autor: Luisa


"Deus me fez surdo para que eu ouvisse a Sua Voz 
e a transformasse em música para o mundo"



.Para a Amada Imortal  


CARTA DE AMOR DE BEETHOVEN À SUA AMADA IMORTAL Quem viu os filmes "Minha amada Imortal" e "O Segredo de Beethoven" não vai se esquecer jamais. Duas obras primas, dois encontros com um gênio que Deus nos presenteou. "Deus me fez surdo para que eu ouvisse a Sua Voz e a transformasse em música para o mundo". Beethoven,Um gênio, um dom, uma sabedoria, mas também um apaixonado, conforme você vai constatar por uma das cartas que escreveu à sua Amada Imortal. Uma carta que é um verdadeiro poema, uma sinfonia feita em prosa, uma luz que ilumina os corações apaixonados ou não.x
 Carta de Beethoven à Amada Imortal





"Deus me fez surdo para que eu ouvisse a Sua Voz e a transformasse em música para o mundo".
Manhã de 6 de Julho "Meu anjo, meu tudo, meu próprio ser – Hoje apenas algumas palavras a caneta (a tua caneta). Só amanhã os meus alugueres estarão definidos – que desperdício de tempo....... por que sinto essa tristeza profunda se é a necessidade quem manda? Pode o teu amor resistir a todo sacrifício embora não exijamos tudo um do outro? Podes tu mudar o facto de que és completamente minha e eu completamente teu? Oh Deus! Olha para as belezas da natureza e conforta o teu coração. O amor exige tudo, assim sou como tu, e tu és comigo. Mas esqueces-te tão facilmente que eu vivo por ti e por mim. Se estivéssemos completamente unidos, tu sentirias essa dor assim como eu a sinto. O meu dia foi terrível: ontem só cheguei aqui às 4 horas da manhã. Com a falta de cavalos, o cocheiro do correio escolheu um novo caminho, mas que terrível caminho, na penúltima paragem eu fui avisado para não viajar à noite, fiquei com medo da floresta, mas isso só me deixou mais ansioso - e eu estava errado. O cocheiro precisou parar na infeliz estrada, uma imprestável e barrenta estrada. Se eu estivesse sem todas as coisas que trago comigo teria ficado preso na estrada. Esterhazy, viajando pela estrada, teve o mesmo problema com oito cavalos que eu tive com quatro - sinto prazer com isso, como sempre sinto quando supero com sucesso as dificuldades. Agora uma rápida mudança das coisas externas para as internas. Nós provavelmente devemos nos ver em breve, entretanto, hoje eu não posso dividir contigo os pensamentos que tive nos últimos dias sobre minha própria vida – Se os nossos corações estivessem sempre juntos, eu não teria nenhum.... O meu coração está cheio de coisas que eu gostaria de te dizer – ah – há momentos em que sinto que esse discurso é tão vazio – Alegra-te – Lembra-te da minha verdade, o meu único tesouro, o meu tudo como eu sou o teu. Os deuses devem-nos mandar paz... Teu fiel Ludwig 

Segunda de tarde, 6 de Julho Tu estás a sofrer minha criatura adorada – só agora percebi que as cartas deveriam ser enviadas nas segundas ou quintas de manhã cedo - os únicos dias nos quais o correio vai daqui para K. – Tu estás a sofrer – Ah, não importa onde eu esteja porque tu estás comigo – Vou arrumar tudo para que possamos viver juntos..... e que vida teremos!!! Assim!!! Sem ti... perseguido pela bondade de algumas pessoas, que não quero receber porque não as mereço. Dói-me a humildade do homem diante do homem. E quando me acho em sintonia com o Universo, o que sou e quem é aquele a quem chamam o Todo Poderoso? E sem dúvida... aí então aparece de novo o divino do homem. Choro ao pensar que provavelmente não receberás a minha primeira carta antes de sábado. Tanto como tu me amas, muito mais te amo!... Boa noite! Devo ir dormir. Oh, Deus! Tão perto! Tão longe! Não é o nosso amor uma verdadeira morada do céu? E tão sólido como as muralhas do céu?Bom dia! Todavia, na cama se multiplicam os meus pensamentos em ti, minha amada imortal; tão alegres como tristes, esperando ver se o destino quer ouvir-nos. Viver sozinho é-me possível, ou inteiramente contigo, ou completamente sem ti. Quero ir bem longe até que possa voar para os teus braços e sentir-me num lugar que seja só nosso, podendo enviar a minha alma ao reino dos espíritos envolta contigo. Tu concordarás comigo, tanto mais que conheces a minha fidelidade, e que nunca nenhuma outra possuirá meu coração; nunca, nunca... Oh, Deus! Por que viver separados, quando se ama assim?


                             7 de Julho

Minha vida, o mesmo aqui que em Viena: sentindo-me só, angustiado. Tu, amor, tens-me feito ao mesmo tempo o ser mais feliz e o mais infeliz. Há muito tempo que preciso de uma certeza na minha vida. Não seria uma definição quanto ao nosso relacionamento?... Anjo, acabo de saber que o correio sai todos os dias. E isso me faz pensar que tu receberás a carta em seguida. Fica tranquila. Contemplando com confiança a nossa vida alcançaremos o nosso objectivo de vivermos juntos. Fica tranquila, queiras-me. Hoje e sempre, quanta ansiedade e quantas lágrimas pensando em ti... em ti... em ti, minha vida... meu tudo! Adeus... queiras-me sempre! Não duvides jamais do fiel coração de teu enamorado Ludwig. Eternamente teu, eternamente minha, eternamente nossos." Beethoven

"Meu anjo, meu tudo, meu ser. Apenas algumas palavras hoje, à lápis (o seu). Até amanhã a minha morada estará definida. Que desperdício de tempo. Por que [sinto] esta tristeza profunda quando a necessidade fala? Pode o nosso amor resistir ao sacrifício, em não exigir a totalidade um do outro? Pode mudar o fato de que você não é toda minha nem sou todo seu? Oh, Deus! Olhe para a beleza da natureza e conforte o seu coração com o que deve ser. O amor exige tudo e com razão. Assim, eu estou em você e você em mim. Mas você se esquece facilmente que preciso viver para mim e para você. Se estivéssemos completamente unidos, você sentiria esta dor tão próxima quanto eu sinto. A minha viagem foi terrível; só cheguei ontem às 4 horas da manhã, uma vez que na falta de cavalos, o cocheiro escolheu um outro caminho, mas que caminho terrível. Na penúltima parada fui avisado para não viajar à noite, fiquei com medo da floresta, e isso só me deixou mais ansioso - e eu estava errado. O cocheiro precisou parar na estrada infeliz, uma estrada imprestável e barrenta. Se estivesse sem os apetrechos que levo comigo teria ficado preso na estrada. Esterhazy, percorrendo este caminho habitual, teve o mesmo destino com oito cavalos que eu tive com quatro. Senti algum prazer nisso, como sempre sinto quando supero com sucesso as dificuldades. Agora uma rápida mudança das coisas externas para as internas. Provavelmente nos veremos em breve, mas hoje não posso compartilhar contigo os pensamentos que tive durante estes poucos dias  sobre a minha vida. Se os nossos corações estivessem sempre juntos, eu não teria nenhum deles. O meu coração está repleto de coisas que gostaria de dizer-te. Ah. Há momentos que sinto esse discurso não ser nada. Alegre-se. Você permanece [sendo] a minha verdade, o meu tesouro, o meu tudo como eu sou o teu. Os deuses devem nos mandar o restante, aquilo que deve ser para nós e será. Seu fiel Ludwig." 
Pode o nosso amor resistir ao sacrifício, em não exigir a totalidade um do outro? Pode mudar o fato de que você não é toda minha nem sou todo seu? Oh, Deus! Olhe para a beleza da natureza e conforte o seu coração com o que deve ser. O amor exige tudo e com razão. Assim, eu estou em você e você em mim.


Aqui sestá a segunda carta de Beethoven a sua amada...sofri com a atriz lendo a carta.Se foi assim não saberemos,se ela realmente recebeu e foi a amada que ele tanto levou em seu coração, é dilacerante...

Segunda noite de 6 de julho de 1812 

Você está sofrendo, minha querida criatura. Só agora percebi que as cartas precisam ser enviadas nas segundas ou quintas de manhã bem cedo. Os únicos dias em que o correio vai daqui para K. Você está sofrendo. Ah, não importa onde eu estou, você está lá. Eu arrumarei isso entre eu e você para que possa viver contigo. Que vida!!! Assim!!! Sem você, perseguido pela bondade humana, o que pouco quero merecer é o que mereço. A humildade do homem diante do homem me machuca. E quando me considero em relação ao universo, o que eu sou e o que é Ele, a quem chamamos de maior, ainda assim, nisto reside a divindade do homem. Choro ao pensar que provavelmente não receberá a minha primeira carta antes de sábado. Por mais que você me ame, eu te amo mais. Mas nunca se oculte de mim. Boa noite. Devo ir dormir. Oh, Deus! Tão perto! Tão longe! Não é o nosso verdadeiro amor uma construção celestial, mesmo assim é firme como as colunas do céu?
                                                                        **********
  Napoleão para  Josefina Não passo um dia sem te desejar, nem uma noite sem te apertar, nos meus braços; não tomo uma chávena de chá sem amaldiçoar a glória e a ambição que me mantêm afastado da vida da minha vida. No meio das mais sérias tarefas, enquanto percorro o campo à frente das tropas, só a minha adorada Josefina me ocupa o espírito e coração, absorvendo-o por completo o pensamento. Se me afasto de ti com a rapidez da torrente de Ródano, é para tornar a ver-te o mais cedo possível. Se me levanto a meio da noite para trabalhar, é no intuito de abreviar a tua vinda, minha amada.E no entanto, na tua carta de 23, tratas-me na terceira pessoa, por Senhor! Que mazinha! Como pudeste escrever-me uma carta tão fria? E depois, entre 23 e 26 medeiam quase quatro dias: que andaste tu a fazer, porque não escreveste a teu marido?... Ah, minha amiga, aquele tratamento do “senhor” e os quatro dias de silêncio levam-me a recordar com saudade a minha antiga indiferença. (…) Isto é pior que todos os suplícios do Inferno. Se logo deixaste de me tratar por tu, que será então dentro de quinze dias?! Sinto uma profunda tristeza, e assusta-me verificar a que ponto está rendido o meu coração. Já me queres menos, um dia deixarás de me querer completamente; mas avisa-me, então. Saberei merecer a felicidade… Adeus, mulher, tormento, felicidade, esperança da minha vida, que eu amo, que eu temo, que me inspira os sentimentos mais ternos e naturais, tanto como me provoca os ímpetos mais vulcânicos do que o trovão. Não te peço amor eterno nem fidelidade, apenas a verdade e uma franqueza sem limites. No dia em que disseres: “Quero-te menos”, será o último dia do amor. Se o meu coração atingisse a baixeza de poder continuar a amar sem ser amado, trincá-lo-ia com os dentes. Josefina: lembra-te do que te disse algumas vezes: a natureza faz-me a alma forte e decidida. A ti, fez-te de rendas e de tule? Deixaste ou não de me querer? Perdão, amor da minha vida. A minha alma está neste momento dividida em várias direcções e combinações, e o coração, só em ti ocupado, enche-se de receios…Cartas de Amor de Napoleão Bonaparte a Josefina Bonaaparte i in revista Tabu do Semanário Solh
Enfada-me não te chamar pelo teu nome, mas espero que sejas tu a escrevê-lo. Adeus. Ah, se me amas menos, é porque nunca me amaste. Tornar-me-ias então digno de lástima. Napoleão P.S. – A guerra este ano está irreconhecível. Mandei distribuir carne, pão, e forragens à minha cavalaria prestes a pôr-se em marcha. Os soldados patenteiam-me tal confiança que não tenho palavras para descrever-te. Só tu me causas desgostos. Só tu, alegria e tormento da minha vida. Um beijo aos teus filhos, de quem não me dás notícias. Ai, não! – levar-te-ia a escrever o dobro, e as visitas das dez da manhã não teriam o prazer de te ver Mulher!!!

      Paris, Dezembro de 1795.
Eu acordo cheio de pensamentos sobre você. Seu retrato e a tarde intoxicante que passamos juntos ontem deixaram meus sentidos em tumulto. Doce, incomparável Josephine, que estranho efeito você tem sobre meu coração! Você está brava? Será que eu a vejo triste? Você está preocupada?... Minha alma dói de tristeza, e não pode haver descanso para você amada, mas haverá algo mais reservado para mim quando, cedendo aos sentimentos que me oprimem, eu peço dos seus lábios, do seu coração um amor que me consome com fogo? Ah! foi na noite de ontem que entendi perfeitamente quão falsa imagem de você dão os seus retratos.
Até lá, mio dolce amor, mil beijos;mas não me dê nenhum em retorno,                                                                                                                          pois eles deixam meu sangue em chamas Ele triunfa e conquista! Isto é o amor! Como pode alguém tão frágil como você ,resistir ou opor-se a ele?
                                 
                                                       *********  memórias e momentosCarta Kahlil Gibran para Mary Haskel trabalhei o dia todo,                     mas não podia ir para a cama sem antes dizer "boa noite". Sua carta mais recente é puro fogo, um cavalo alado que me leva a uma ilha onde  só começar a ouvir  música estranha, mas um dia entender. Os dias se passaram cheio dessas imagens, vozes e sombras, e não há fogo no meu coração também em minhas mãos. Necessário para transformar toda essa energia em algo que nos faz tanto bem, e as pessoas que queremos. Você sabe o que significa queimar, arder em um braseiro enorme, sabendo que este fogo se transforma em cinzas tudo de ruim, e deixando o alma apenas o que é verdade? Oh, não há nada mais abençoado do que este Fogo!
31 de outubro de 1911
10 de setembro de 1920
                                                                                                                 Coragem necessária para viver. Tanto a semente intacta, como quebrar a casca tem as mesmas propriedades. No entanto, apenas quebrar a casca é capaz de embarcar na aventura da vida. Esta aventura requer uma ousadia única descobrir que você não pode viver através da experiência dos outros, e estar disposto a se render. Você não pode ter os olhos, os ouvidos de outro, para saber com antecedência o que vai acontecer, cada vida é diferente do outro. Não importa o que me espera, eu quero estar com o coração aberto para receber. Não tenha medo de colocar meu braço em torno de alguém, até que eu cortá-la. Eu não tenho medo de fazer algo que ninguém fez antes. Deixe-me ser tolo hoje, porque o absurdo é tudo que tenho para dar esta manhã, eu posso repreender, para isso, mas não é importante. Amanhã, quem sabe, serei menos estúpido. Quando duas pessoas se encontram, devem ser como dois lírios aquáticos que se abrem de lado a lado, cada uma mostrando seu coração dourado, refletindo o lago, nuvens e céus. Eu não consigo entender porque um encontro sempre gera o oposto disto:. Corações fechados para o sofrimento e medo Toda vez que estamos juntos, nós conversamos por quatro, seis horas seguidas. Se quiser gastar todo esse tempo juntos é importante não esconder nada, e manter as pétalas abertas. Carta Kahli

 O amor, amor verdadeiro, como o que sinto por você, é como um incêndio na floresta. A tudo ele consome e destrói. Tão violento que não existem meios de controlá-lo. É como uma tempestade no mar,      violento e poderoso, pronto para destruir aqueles que tentam desafiá-lo!

O amor é como o raio de sol, a canção dos pássaros, o zumbir das abelhas, as flores aos seus pés. Isso também é amor! Faz parte de nós, está à nossa volta e dentro de nós. Não há jeito de escapar.Depressa, meu amor! Eu preciso demais de você! Estou aguardando e meus braços anseiam por você.Cada minuto sem você me parece um século de solidão.Estou aos seus pés.
MN

Freud – uma carta de amor, 7/8/1882
Amada pequena menina,Os astrônomos afirmam que as estrelas que hoje vemos reluzir começaram a arder há centenas de milhares de anos e talvez hoje estejam se extinguindo. Tal é a dimensão de distância que nos separa delas, até mesmo para um raio de luz que, sem se cansar, percorre mais de 40.000 milhas em um segundo. Sempre foi difícil para mim imaginar isso, mas agora posso fazê-lo com facilidade quando penso como você sorri diante de minhas cartas cordiais, enquanto minha alma sofre com dúvidas e preocupações, e quando penso como você se aborrece com a minha dureza e a minha desconfiança, enquanto uma medida de ternura, que luta em vão para se expressar, me preenche. Há dois caminhos para evitar esta incongruência. O primeiro seria me abster de relatar uma atmosfera que supostamente não vai durar nem uma semana. O outro seria fazê-lo mantendo um olhar sereno, acima do teatrinho de máscaras que a vida vai encenando conosco. Desprezamos o primeiro caminho, o caminho da preservação, porque ele pode acabar levando ao estranhamento. Por isso, somos obrigados a fazer aquilo que o segundo caminho nos recomenda. Imagine que cada duas horas dos quatro dias que se passam entre a minha pergunta e a sua resposta – não, mais 64 das 96 horas – estendessem a tal ponto por meio de pensamentos confusos a respeito de você que a pobre pessoa por fim não fosse mais capaz de distinguir esse intervalo de tempo de um mês ou de um ano. Imagine quão vazios e, consequentemente, quão breves pareceriam os milênios durante os quais não pensamos em nada, e então você será forçada a admitir que o atraso dos acontecimentos que interessam ao astrônomo não será maior do que aquele que nós dois somos forçados a suportar por causa de seu veraneio em Wandsbeck. O que nós, ligados de maneira tão íntima e tão insolúvel, teremos que fazer quando acontecer entre nós algo como aquilo que constituía o conteúdo de minhas últimas cartas. Se eu não estiver fisicamente exausto, vou empurrar para um segundo plano as poucas lembranças incômodas associadas aos meus esforços por você e me alegrar pensando em tudo de bom e de belo que vi em você, e em todos os sacrifícios que você fez por mim até hoje. Você vai habituar-se a continuar amando o pobre homem, apesar de sua antipatia, de seus maus humores esporádicos e de seus julgamentos equivocados, e continuaremos a caminhar juntos alegremente. Se não me engano, hoje efetivamente você não é capaz de dedicar a mim todo o seu amor sem alguma dificuldade, e à custa de autocontrole – e eu só serei capaz de sorrir, ciente de minha vitória, quando você finalmente se tornar minha, seguindo o curso inevitável da natureza, como eu pretendia desde o começo.(...)Amanhã voltarei a escrever uma cartinha, o dia de hoje é tão irritante e perturbador. Vamos fazer com que passe depressa, para dar lugar a um outro, melhor. Com cordiais saudações à única e querida menina amada,Teu Sigmund(Trecho de carta de Freud à mulher Martha Bernays - tradução de Luis Krausz para a Revista Cult nº 161)
Postar um comentário